1025271_570388713012512_1921386810_oMais de um milhão, uma Presidente Vargas cheia de cariocas desejando mudanças, desejando respeito, sabendo que o Brasil pode muito mais. É mentira que eles não sabem o que querem, sabem sim, que como está não dá para continuar.

Hoje deu orgulho de ser carioca, de ver que não é só no Carnaval que o carioca enche a rua, que não é apenas com futebol que vai às ruas. Nem vai mais aceitar um prefeito jogando para o povo pagar suas politicagens.

Houve violência, incêndio, cenas tristes, lamentáveis. Mas são cenas que representam apenas uma parte deste movimento que toma conta do país. Afinal ali se mistura tudo, pessoas que vão para reclamar, para se manifestar e quem vai apenas para soltar sua violência no anonimato que dá a multidão.

O que acreditei ser o ponto mais baixo de tudo foi a atuação da Polícia Militar, totalmente despreparada para agir em eventos assim. Agiu certo ao dispersar alguns vândalos que se juntaram na frente da Prefeitura do Rio mas depois disso parece que terminou o comando e continuaram, continuaram e continuaram com suas bombas, balas de borracha e raiva.

Na Cinelândia, onde havia gente mas nenhum ato de vandalismo jogaram gás lacrimogênio, na Lapa as pessoas que bebiam também foram tratadas como vândalos. No Circo Voador a mesma coisa, um fotógrafo levou uma bala de borracha no queixo.

Foi interessante que eu li, algumas pessoas dizendo que tem mais de bater em quem vaia a ação da polícia. Não é assim, se não estão preparados para esse tipo de reação em uma manifestação como hoje, que fique em casa, que nem seja colocado na rua.

Em Laranjeiras a mesma coisa, a PM jogando suas bombas de efeito moral, mesmo sem nenhuma confusão. Será que o camarada ficar xingando de covarde (ou apenas falando a verdade) é motivo para o que acontece no vídeo abaixo?

Isso é só um exemplo de como a polícia de Sergio Cabral está agindo. Um amigo morador de Laranjeiras relata assim:

E aí, os manifestantes começam a chegar no Palácio Guanabara (vulgo, quase a porta de casa).
Em cinco minutos o Choque e o Bope chegam e… BOOM.
Tiro, porrada e bomba, sem ninguém fazer absolutamente nada. Com os manifestantes SENTADOS na Rua Pinheiro Machado e dezenas de curiosos nas ruas – crianças inclusive!
Pra não tirar o ar da graça e da emoção, o gás lacrimogêneo entra em casa. No fim de tudo, cá estou eu, com os olhos e a garganta irritados. Dentro do meu quarto.

Dia 21/6 tem vários marcados pela cidade, como na Barra, e outra na Cinelândia no dia 24. E a cada manifestação os Governos municipal, estadual e federal jogam mais lenha na fogueira.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui