A falta de comando da Guarda Municipal do Rio – Bastidores do Rio

Continua a farra da credencial no Sambódromo, Eduardo Paes passa sem vaia pela Sapucaí, o amor de verão dele com Castro e o Cacique com tudo

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Quintino Gomes Freire - Foto: Rafa Pereira/Diário do Rio

Público X Privado
Enquanto temos vereadores que devolvem os convites para camarotes na Sapucaí, também temos gestores públicos que se fazem valer das benesses do poder para beneficiar a própria família.

Público X Privado II
Por exemplo, a Secretária Municipal de Turismo, Daniela Maia, arranjou credencial para uma de suas filhas poder circular livremente pela passarela. Enquanto as credenciais, que são para quem irá trabalhar, forem utilizadas de maneira indiscriminada, será sempre o caos no carnaval carioca.

Público X Privado III
O gestor público carioca ainda tem muito que aprender e dividir sua vida pública da sua vida privada. Enquanto continuarem achando que os gabinetes são extensões de suas próprias casas, nunca vamos sair do atoleiro.

Público X Privado IV
O dia que não vermos mais essa farra de credenciais no Carnaval do Rio, será o dia que poderemos dizer: Enfim, seremos civilizados.

Advertisement

Leia também

Polícia Militar planeja ampliar sistema de reconhecimento facial para 650 câmeras no RJ

AquaRio promove primeira sessão para pessoas com Autismo

Falta comando
Não por acaso a Guarda Municipal do Rio, quando não está descansando, não faz nada. Falta exemplo no comando, nem com fardamento completo costuma andar seu comandante.

Pesquisa da avenida
Eduardo Paes
passou pelo teste da Sapucaí, passou por ela sem vaias. Um bom indicador para 2024.

Só Amor
Paes e Cláudio Castro eram só amor um com outro este ano. Mas eleição municipal é ano que vem e cada um tem seu candidato nas principais cidades, será que essa paixão dura até 2024?

Cacique com tudo
Foi só passar o desfile do Grupo Especial, que a chuva desceu com tudo na Terça Gorda do Rio, sinal que o Cacique Cobra Coral funcionou! Não creio em bruxas, ou cacique, “pero que las hay, las hay”.

Cacique com tudo II
E não é que a campeã de 2023 é a Imperatriz Leopoldinense, de Ramos… onde tem outro Cacique…

Quem diria
Quem viu os Stories de Talita Galhardo na noite de segunda ficou surpreso ao vê-la no Sambódromo, ela não tem só colete no Guarda Roupa.

Pé quente
Parece que o subprefeito da Zona Norte, Diego Vaz, é pé quente. A região que ele nasceu teve escola campeã do Grupo Especial e não houve tiroteio na Nova Intendente, risco alertado pela PM. Só falta ele atender à imprensa e deixar de ser o Diego Vácuo como andam apelidando.

Em Portugal
Alessandra Balestieri
, advogada e mediadora de conflitos, coordenou o Curso de Mediação de Recuperação de Empresas, na Universidade Católica do Porto.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp A falta de comando da Guarda Municipal do Rio - Bastidores do Rio

Advertisement

6 COMENTÁRIOS

  1. Que insistência em dizer que os agentes da GMRIO não “fazem” nada. Saia os Srs. de suas seções e vá tentem vivenciar 1 dia, uma semana, 1 mês de trabalho do agente.Para falar precisa conhecer.
    Que a GMRIO e “subutilizada” e mal “distribuída” no território. Talvez essa deveria ser a pauta das matérias no que tange a GMRIO.

  2. Achar que Eduardo Paes não ganhou vaia e isso é um bom indicativo para 2024 é bizarro… Até porquê é o único local que ele é aplaudido de pé,pois é o único lugar que ele investe ( ou se alegra de ir e não investe é nada, tanto faz…) é pro sambódromo ou lugares deste tipo… Isso quem me falava era meu tatatatatataravô e vou continuar repetindo, enquanto não fizermos o dever de casa não adianta colocar como alegoria de frente as festas e brincadeiras, como que isso trás milhões para o Rio… Mentiras…qual o dever de casa??? Saúde, Segurança e Educação!!!!

  3. Quanto ao vácuo da subprefeitura, o jornal deve estar certo. Se for pelo tiroteio, graças a Deus! Mas a trégua da guerra de facções não dura para sempre e a bala vai voltar, sem descartar outros problemas ocorridos, como os da chuva que alagou a cidade e a região do desfile na terça-feira e ainda empoçava embaixo das instalações no dia seguinte. Se fosse um pouco pior seria um desastre. Vale registro para o redirecionamento de transito que deslocou carros e ônibus em trajetos a mais de 1km do curso habitual e ainda gera deslocamento de pontos de ônibus e engarrafamentos. Só para registro, a vida ali não voltou ao normal já que ali será palco de desfiles até o dia 26/02 enquanto a cidade volta ao normal. Até o desmonte total, março ainda será Carnaval na região do Campinho, afetando colégios, comércio, igrejas e residências. Por conta disso, a prefeitura poderia comentar o por que de se manter dois fins de semana de desfiles no mesmo local? Antigamente ocorriam desfiles na Rio Branco, Bonsucesso e até na Pavuna e agora se junta tudo no palco da Intendente. Os blocos ficaram com o filé na Zona Sul e o desfiles das escolas de menor investimento ficam com o osso no local onde deu. Poderia ter um desafogo? Se a cidade é plural, tem espaço para outras estruturas e propostas, unindo os blocos e as escolas de samba.

  4. Como sempre sempre falando asneiras sobre algumas instituições que mais sofrem na mão dos prefeitos! Gostaria de convidar o senhor a visitar uma das unidades da guarda municipal e tirar 12 horas de plantão em pé e prender marginais com armas de fogo somente com uso das mãos se acha que é mentira me mande seu e-mail que eu terei o prazer de lhe mandar as fotos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui