A Jovem Guarda pode ser reconhecida como Patrimônio Histórico Cultural Imaterial do RJ

O projeto da deputada Martha Rocha foi aprovado em segunda discussão pela Alerj e segue para a sanção de Cláudio Castro

Wanderléa, Roberto e Erasmo Carlos. Os 3 grandes nomes da Jovem Guarda / Reprodução: Internet

O Projeto de Lei 1.780/19, de autoria da deputada Martha Rocha (PDT), pode reconhecer o movimento cultural e musical da Jovem Guarda como Patrimônio Histórico Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro. O projeto foi apresentado à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que o aprovou, em segunda discussão, nesta quinta-feira (26/05). O governador Cláudio Castro tem até 15 dias úteis para sancioná-lo ou vetá-lo.

Martha Rocha apresentou como justifica para o projeto o impacto que o movimento, na década de 1960, na sociedade brasileira e fluminense, com as suas músicas, roupas e tendências de comportamento.  O movimento surgiu através do programa homônimo que tinha no comandado por o Tremendão Erasmo Carlos, Roberto Carlos e a Ternurinha Wanderléa. Martinha, Eduardo Araújo e Antônio Marcos também foram nomes expressivos do movimento.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui