A simplicidade do subúrbio carioca no tempo do táxi-lotação

O taxi-lotação foi um meio de transporte muito usado pela população carioca nos subúrbios, a partir dos anos de 1940

Imagem: site foi um Rio que passou

No imaginário popular carioca, o subúrbio, em tempos passados, é visto quase como um “paraíso perdido”, onde as pessoas eram mais clamas, simples e humanas.

Quando tomamos contato com história do Rio de Janeiro, percebemos como a vida nos bairros da região era, de fato, bucólica e apresentava uma dinâmica diferenciada das áreas mais centrais da cidade.

O taxi-lotação, meio de transporte muito usado nos subúrbios partir dos anos 1940, foi uma demonstração clara e romântica da construção desse cotidiano mais simples e compartilhado.

Os carros eram grandes e levavam até 7 passageiros acomodados em banquinhos dobráveis. Capacidade só vista em veículos longos, como as limusines ou carros executivos.

O taxi-lotação fazia a ligação entre pontos do Centro do Rio e estações ao longo dos ramais ferroviários que levavam aos bairros suburbanos.

A proibição da atividade da lotada na cidade tornou a presença do meio de transporte nas suas inviável, uma vez que o poder público passou a realizar fiscalizações cada vez mais rigorosas. Mesmos assim, até os anos de 1973 e 1974, havia algumas linhas de lotada sendo usadas pela população.

Nesse período, o mundo foi assaltado pela crise mundial do petróleo, que elevou o preços dos combustíveis. O evento selou o fim das atividades no subúrbio da cidade, levando muitos condutores a abandonaram as lotadas e se desfazerem dos veículos que, não dispunham de similares nacionais para reposição de peças.

Na imagem, um ponto do táxi lotação localizado na esquina da Rua Professor Lace com Rua Uranos, em Ramos. O veículo levava os passageiros à estação Ramos do Ramal da Leopoldina. Foto de 1972. As informações e imagem são do site foi um RIO que passou.

Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. Quando criança, meu levava eu e os meus irmãos para a praia de Ramos, saímos do jacarezinho acho que pegávamos um ônibus não me lembro bem dessa primeira parte do trajeto, mas a segunda parte embarcavamos em uma dessas lotações. Que saudade, boas lembranças éramos de uma família muito humilde mas meus pais faziam tudo de melhor por seus 8 filhos mais os agregados.

  2. O taxi lotação da foto está na R. Pereira Landim, esquina com R. Leopoldina Rego e não na R. Professor Lace que fica do outro lado da linha do trem. A parede é do Cine Rosário. É da linha Ramos (estação) – Praia (de Ramos)

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui