Acampamentos bolsonaristas podem ser retirados do Centro do Rio nesta segunda-feira

Cláudio Castro afirma estar ‘conversando’ com o Comando Militar do Leste para que a decisão seja cumprida. Eduardo Paes anunciou que as ocupações em frente à Praça Duque de Caxias também serão removidas

Acampamento bolsonarista em frente ao Comando Militar do Leste, no Centro do Rio - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Após atos golpistas em Brasília, na noite de domingo, (08/01), o governador do Rio, Cláudio Castro (PL), afirma que o acampamento montado por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro, no Centro do Rio de Janeiro, será desmontado. Castro diz que está “conversando” para que os golpistas saiam do Centro ainda nesta segunda-feira, (09/01).

A área tomada pelos apoiadores fica na Avenida Presidente Vargas – a mais movimentada do Centro — e a algumas partes da Central do Brasil, terminal dos trens de passageiros do Grande Rio e do comércio popular da Saara.

“Estamos falando com o Comando Militar do Leste desde ontem [domingo, (08/01)]. Há uma recomendação do Ministério Público Federal neste sentido também. Mas aqui no Rio é diferente, pois eles não estão em uma via pública, mas em um espaço dentro do CML. Então estamos conversando para que a decisão seja cumprida”, disse Castro ao Bom dia Rio.

Eduardo Paes

Já o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), anunciou que a prefeitura irá promover até a noite desta segunda-feira, (09/01), “a retirada de todos os objetos e barracas que ocupam o espaço público tomado por manifestantes que atentam contra a democracia na Praça Duque de Caxias”.

MPF

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro requisitou ao Comando Militar do Leste a imediata dissolução do acampamento dos extremistas bolsonaristas instalados em frente à sede do órgão, no Centro do Rio.

De acordo com o ofício, o comandante militar do Leste, general André Luis Novaes de Miranda, deve adotar “providências urgentes para desmantelar e desocupar acampamento instalado na frente das instalações do Palácio Duque de Caxias”.

O MPF afirma que há apreensão de que novas mobilizações golpistas ocorrerão, não só em Brasília, mas em todo o país.

STF

O fim dos acampamentos golpistas em todo o país também foi determinado pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do processo dos atos antidemocráticos no Supremo Tribunal Federal (STF). Na peça, Moraes determinou “a desocupação e dissolução total, em 24 horas, dos acampamentos realizados nas imediações dos Quartéis Generais e outras unidades militares para a prática de atos antidemocráticos e prisão em flagrante de seus participantes”.

Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. Golpista, terrorista, extremista, criminoso e antidemocrático (termos que a mídia marrom gosta de usar) é esse governo que, aliado aos togados vermelhos, usurpou a nação, “tomou o poder”, como bem avisara Dirceu.

  2. Esse é o resultado da expressão “perdeu mané…”, proferida por ministro do (partido político) STF e senador da República de quem espera-se no mínimo o devido respeito com a população.
    Nada justifica o que está acontecendo, porém, essa já era uma tragédia anunciada.

    • Errado, isso é resultado de anos de lavagem cerebral com a farsa da lava-jato e da eleição de um descerebrado psicopata em 2018 só pra se livrar de um comunismo que nunca existiu.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui