A matéria abaixo mostra que o Rio poderia receber mais 5 milhões de passageiros/ano no Galeão.O Ministério da Defesa pode desafogar SP tranferindo esses vôos para Rio. Seria bom para o Rio e para a segurança do sistema aéreo.

Aeroporto Internacional do Rio é mal utilizado

O presidente da Associação Brasileira de Turismo Receptivo Internacional (Bito), Roberto Dultra, volta a lembrar às autoridades da necessidade de direcionamento de vôos para o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Em 2006, de acordo com dados da Infraero, o Aeroporto Antônio Carlos Jobim registrou uma movimentação de 8,7 milhões de passageiros. Para esse ano, a expectativa é de que 10 milhões de pessoas embarquem e desembarquem no Tom Jobim. Mas a capacidade total do aeroporto é para 15 milhões de pessoas por ano. – Ainda temos condições de receber cerca de 130 vôos a mais por dia, segundo dados da Infraero. O sub-aproveitamento do aeroporto internacional é notório e pode ser facilmente observado. Em certos dias, durante a tarde, o saguão fica praticamente vazio, informa Roberto Dultra.

– Tecnicamente, não há dúvidas de que o aeroporto mais capacitado como alternativa para desafogar o tráfego aéreo de São Paulo é o Antônio Carlos Jobim. De todos os aeroportos dos estados vizinhos, ele é o que está mais próximo, além de já manter a ligação com São Paulo através da Ponte Aérea. Ele também é o que tem a estrutura para, sem reforma nenhuma, abrigar o maior número de passageiros. Basta passarem alguns vôos de Garulhos para o Rio de Janeiro e assim Garulhos estaria apto a receber tranqüilamente os vôos de Congonhas, analisa Dultra. Em termos de expansão, a estrutura do Aeroporto Internacional Tom Jobim comporta ainda a construção de mais dois terminais e de uma segunda pista, paralela à principal, sem que nenhuma desapropriação em seu entorno seja necessária. Isso porque ele está situado em uma ilha e não tem área urbana em volta. Ao operar mais vôos domésticos, o Aeroporto Tom Jobim passaria a receber mais vôos internacionais. – É preciso que tenhamos uma malha aérea condizente ao que o Rio de Janeiro representa para o país internacionalmente.

O Rio é cartão-postal do Brasil, ícone de referência turística do nosso país no exterior. O aumento do número de vôos internacionais contribuirá para o crescimento e desenvolvimento do turismo receptivo internacional não apenas no Rio de Janeiro, mas no Brasil; pois muitas convenções, congressos e viagens de incentivo incluem a oferta de viagens de lazer pré ou pós evento principal para destinos do mesmo país, ressalta Dultra.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui