Afogada em dívidas, Unimed-Rio reduz número de funcionários

Com R$ 5 bilhões em dívidas, operadora pretende reduzir em 90% a sua folha de funcionários, baixando de mil para 100 trabalhadores

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Imagem meramente ilustrativa / Foto: Site Unimed Rio

Com dívida estimada em R$ 5 bilhões, a Unimed Rio, que transferiu toda a sua carteira de clientes para a Unimed Ferj, pôs em prática um plano de reestruturação para atuar somente como prestadora de serviço. Para isso, a entidade pretende reduzir em 90% a sua mão de obra. Dos mil funcionários, a entidade deve transferir 500 para Ferj e ficar com apenas 100 trabalhadores, com os demais sendo demitidos posteriormente, segundo fontes ouvidas pelo jornal O Globo. A transição deve estar regulamentada até o final do terceiro trimestre de 2024, ainda segundo o veículo.

Entre os planos para o novo modelo de negócio, a cooperativa pretende diversificar o seu portfólio de produtos e serviços a serem oferecidos. As opções vão desde cartões de descontos e clube de benefícios, passando à oferta de consultas e exames a preços mais populares, entre outros.

Pelo acordo de transferência da clientela da Unimed-Rio para Ferj, a federação deverá pagar R$ 156 milhões anuais pela garantia de acesso aos médicos da cooperativa, além do arrendamento do hospital e de postos próprios de atendimento da Unimed-Rio. Também consta no plano de reestruturação, a ampliação da plataforma de serviços das empresas investidas, que rendem R$ 30 milhões anuais à cooperativa. Serviços como radioterapia, centro de tratamento oncológicos e até hospitais em que atua sozinha ou em parceira, estão sendo mantidos pelo Unimed-Rio.

Advertisement

Apesar de todos os esforços empreendidos, o grupo enfrenta muitas dificuldades. Somente ao condomínio do Edifício Paço do Ouvidor, localizado na Rua do Ouvidor, nº 161, onde ocupa quatro andares, a cooperativa deve aproximadamente R$ 500 mil de taxa condominial. A empresa possui ainda débitos com alugueis e inúmeros fornecedores.

Segundo a BandRio, muitos médicos associados e que prestam serviços à Unimed Ferj estariam evitando prestar atendimento aos pacientes diante dos prejuízos gerados pela cooperativa, que pela lógica da organização devem ser compartilhados pelos associado, assim como os lucros, caso existam. Pela Lei das Cooperativas, o rateio é feito por produtividade, o que, no caso dos médicos, representa o número de atendimentos realizados. Por isso, muitos profissionais têm evitado atender beneficiários da Unimed Ferj nos consultórios. 

Diante do cenário de crise do grupo, os clientes da Unimed Ferj acumulam reclamações, entre elas a necessidade de dar entrada, presencialmente, no pedido de reembolso de procedimentos. A medida acontece por causa da transferência do plano de saúde de Unimed Rio para Unimed Ferj.

Desde o segundo semestre de 2023, a Unimed Rio tem transferido usuários para a Ferj, medida prevista no Termo de Compromisso e que foi explicada no mês passado em uma assembleia organizada pela cooperativa, que, em nota, disse que orientou os beneficiários a solicitarem o reembolso pessoalmente ou por carta nas duas últimas semanas.

De acordo com a BandRio, a operadora informou ainda que o processo já foi reestabelecido e o reembolso pode ser feito via formulário disponível no seu site unimed.coop. Brevemente, a operação também poderá ser feita no aplicativo da entidade.

Com informações do jornal O Globo e da BandRio.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Afogada em dívidas, Unimed-Rio reduz número de funcionários
Advertisement

3 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui