Alerj e Marinha se unem pela retomada da indústria naval no Rio

Novas embarcações serão construídas com um investimento de R$35 milhões de dólares e o projeto pode gerar cerca de 600 empregos diretamente e dois mil de forma indireta no estado

Foto: Reprodução

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT), e os deputados Luiz Paulo (PSD) e Célia Jordão (PL) visitaram, na última quinta-feira, (15/12), o prédio da Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), localizada na base naval da Ilha das Cobras. Durante a visita, o diretor-presidente da instituição, almirante Edésio Teixeira, anunciou a construção de 10 novos navios a partir de um investimento de R$ 35 milhões de dólares cada.

Segundo o almirante, o projeto poderá gerar cerca de 600 empregos diretamente e dois mil de forma indireta no estado.

“Vimos que o Rio de Janeiro é o estado brasileiro que tem as melhores condições para desenvolver a economia do mar. Vamos iniciar um acordo de cooperação com a Marinha do Brasil para começarmos os estudos para a contratação do primeiro navio patrulha, que será feito obrigatoriamente no Rio. Cada navio custa em média R$35 milhões de dólares, o primeiro será construído pela empresa, e a Marinha buscará os demais recursos ao longo do projeto. O navio terá que ser construído no Rio e ter, no mínimo, 50% de produto nacional”, explicou.

Durante a reunião entre os parlamentares e dirigentes da empresa, Ceciliano (PT) destacou a importância das ações para contribuírem para a geração de emprego e renda.

Nossa dificuldade no Parlamento é sempre estruturar a economia do Rio. Em 1985, tínhamos 540 mil empregos, hoje temos 341 mil. Temos um potencial imenso, em outubro produzimos mais de 80% do petróleo do Brasil. Parabenizo esse projeto, pois estão pensando em um cluster, estão bem estruturados, precisamos dar atenção a esse tema que tem um grande potencial”, afirmou.

A deputada Célia Jordão (PL), que presidiu a Comissão Especial de Indústria Naval, Offshore e do Setor de Petróleo e Gás, disse que o tema é essencial para promover o desenvolvimento econômico do estado do Rio de Janeiro. “Quando fiquei à frente da Comissão de Indústria Naval, tive a oportunidade de me aproximar desse tema, e vou sempre me colocar à disposição para conhecer mais ainda e ajudar a criar oportunidades para desenvolver o nosso estado”, salientou.

Luiz Paulo (PSD) enfatizou o papel fundamental da indústria do mar para a economia fluminense. “Precisamos, no próximo governo, reativar imediatamente a indústria naval. Para isso, precisamos de regras para que não haja o afretamento vertiginoso feito principalmente pela Petrobras até mesmo para manutenção das embarcações”.

Também estavam presentes na reunião o ex-comandante da Marinha do Brasil, almirante de esquadra Ilques Barbosa Júnior; o diretor técnico-comercial da Emgepron, vice-almirante Flávio Macedo; o presidente do Sindicato Nacional de Materiais de Defesa (SIMDE), Carlos Erane; o presidente do Conselho de Economia da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Frederico Aguiar; o professor da Escola de Guerra Naval, Thauan Santos; o assessor acadêmico da Escola de Guerra Naval, comandante André Beirão; a pesquisadora da UFRJ, Laurelena Palhano e o diretor-presidente do Cluster Tecnológico Naval, almirante Walter Lucas da Silva.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Que tal reduzir o ICMS de venda de navios, de insumos comprados, da energia elétrica utilizada? Hein? Hein? Hein???
    Ficar tirando foto não adianta nada. Tem que mexer o popô e trabalhar!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui