Alerj tem CPI para apurar desaparecimento de crianças no RJ

De acordo com o relator da CPI, Danniel Librelon, o RJ não conta um sistema claro de informações do quantitativos de crianças desaparecidas

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Cleomir Tavares/Diário do Rio

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) instalou nesta quarta-feira (02/06) a CPI que vai apurar casos de crianças desaparecidas no estado. Foram eleitos o deputado Alexandre Knoploch (PSL) para presidente, a deputada Renata Souza (Psol) como vice-presidente, e o deputado Danniel Librelon (REP) será o relator do colegiado.

Vamos trabalhar com três vertentes para traçar metas de apuração e investigação no desaparecimento de crianças: ouvir primeiramente instituições do governo do estado, além de entidades que já deveriam estar cumprindo leis existentes; apurar como está o funcionamento de órgãos como a Fundação para a Infância e Adolescência (FIA-RJ) e a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA); e quero também a presença de representantes de Conselhos Tutelares para saber como estão apoiando as famílias que se deparam com o desaparecimento de suas crianças e que podem estar em situação de vulnerabilidade”, disse Knoploch.

Os integrantes ainda destacaram a importância da implementação de um banco de dados que contenham os registros dos desaparecidos para auxiliar e melhorar os processos investigatórios. “Será um meio de se ter uma rede de proteção e de auxiliar o trabalho do Legislativo. Precisamos propor várias saídas para solucionar esses casos”, salientou Renata Souza.

Para o relator, a CPI deve focar, principalmente, na falta de dados oficiais. “Infelizmente, não contamos com um sistema que tenha informações claras do quantitativo dessas crianças que sumiram. O aguardo de 24, 48 ou até 72 horas para procurar uma delegacia é angustiante para a família e é um desafio a ser encarado por parte da segurança pública. Vamos trabalhar de maneira transparente e acessível a todos”, explicou Librelon, observando que isso será feito da forma mais humanizada possível.

Advertisement

Leia também

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

10 coisas que só quem anda de ônibus no RJ vai entender

De acordo com o que foi sinalizado, a CPI deve escutar as famílias, órgãos de segurança pública, o Ministério Público e o governo do estado. As deputadas Lucinha (PSDB) e Martha Rocha (PDT) também fazem parte do grupo, enquanto a deputada Tia Ju (REP) e o deputado Alexandre Freitas (Novo) são membros suplentes.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Alerj tem CPI para apurar desaparecimento de crianças no RJ

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui