Alexandre Moraes nega pedido de transferência de Roberto Jefferson para hospital particular

O ministro destacou que a documentação anexada pela defesa evidencia que o sistema prisional fluminense está apto a atender Roberto Jefferson

Roberto Jefferson - Foto: Reprodução/Redes Sociais

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), indeferiu o pedido da defesa do ex-deputado federal Roberto Jefferson para a transferi-lo do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, para o Hospital Samaritano, na Barra da Tijuca. A unidade, segundo a defesa de Jefferson, teria mais recursos técnicos para o tratamento das enfermidades sofridas pelo ex-deputado.

Em sua argumentação, o ministro destacou que a documentação anexada pela própria defesa evidencia que o sistema prisional fluminense está apto a prestar o atendimento necessário a Roberto Jefferson.

“Além da plena capacidade de tratamento pela unidade prisional, cumpre ressaltar, em acréscimo, que Roberto Jefferson, por ocasião de sua prisão anterior, teve sua transferência autorizada para o tratamento em hospital particular, ocasião em que incorreu em diversas violações das medidas contra ele impostas, notadamente mediante uso de interpostas pessoas para divulgação de vídeos nas redes sociais e para repasse de orientações aos dirigentes do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), circunstância que também impede o deferimento do pedido”, disse Alexandre Moraes, ressaltando ainda que “causa perplexidade os fundamentos do pedido da defesa, poucas semanas após o réu ter recebido a Polícia Federal com dezenas de tiros de fuzil e arremesso de granadas, sem demonstrar estar na situação debilitada apontada”.

Antes de voltar para Bangu 8, Roberto Jefferson ficou em prisão domiciliar em razão do seu delicado quadro de saúde. Na ocasião, o ex-deputado chegou a ser transferido para o Hospital Samaritano Barra, onde gravou um vídeo atacando Alexandre Moraes, que argumentou que Jefferson da última vez “incorreu em diversas violações”. “Circunstância que também impede o deferimento do pedido”, enfatizou o ministro.

As informações do jornal O Dia e da CNN.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui