Aliança Centro-Rio completa 2 anos com evento para discutir novos rumos para a região

Evento sobre revitalização da região central acontece no dia 08/11, das 9h às 13h, na sede da Associação Comercial do Rio de Janeiro, no Centro da capital fluminense, e contará com a presença de especialistas e autoridades

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Vista aérea do Porto Maravilha - Foto: Rafa Pereira/Diário do Rio

Criada para promover a atuação privada na revitalização do Centro do Rio de Janeiro, a Aliança Centro completa dois anos em novembro, com um evento de extrema importância para a região: a Conferência Centro-Rio, encontro destinado a autoridades públicas, desenvolvedores imobiliários, comerciantes, síndicos de edifícios da região, entre outros atores sociais interessados no desenvolvimento do Centro da capital fluminense. O evento acontece no dia 08, quarta-feira, das 9h às 13h, no prédio da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), localizado na Rua Candelária, 13º andar, no Centro. O encontro será totalmente presencial e tem o patrocínio do Opportunity e da Sergio Castro Imóveis.

“Somos a associação que reúne as maiores empresas do setor imobiliário e proprietários de pontos comerciais e de serviços que, juntos, atuam pelo desenvolvimento do Centro do Rio com a missão de integrar diversas iniciativas na defesa de interesses comuns. No 1º evento, abordamos as Áreas de Revitalização Econômica e, agora, vamos ampliar a discussão para assuntos essenciais para o fortalecimento e a revitalização da área”, disse Marcelo Haddad, CEO da Aliança.

No encontro serão discutidas as cinco principais iniciativas em andamento para revitalização da região: Reviver Centro II, Reviver Cultural, o Masterplan do BNDES destinado a tentar viabilizar novos usos para 75 imóveis públicos na localidade, as Áreas de Revitalização Econômicas (AREs) – projeto encabeçado pela Aliança Centro Rio – e a conversão de imóveis comerciais em mistos ou residenciais.

Programação resumida da Conferência Centro-Rio:

Advertisement

– Abertura: Josier Villar, presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Carlo Caiado (PSD), presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro (CMRJ), Cláudio André de Castro, Diretor da Sergio Castro Imóveis, uma das empresas fundadoras da Aliança Centro-Rio, e o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD).

Painéis, com duração de 1 hora cada:

I – “Os novos empreendimentos viabilizados pelo Reviver Centro II”;

II – “Incentivos para o comércio e a valorização dos espaços públicos”;

III – “Como viabilizar a conversão de imóveis comerciais”.

Entre os participantes estarão o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon), Cláudio Hermolin; Chicão Bulhões (PSD), secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação da cidade do Rio; Gustavo Guerrante, presidente da Companhia Carioca de Parcerias e Investimentos (CCPar); Osmar Lima, chefe de Departamento de Ativos Imobiliários Públicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES); Paulo Millen, diretor da GTIS Partners; senador Carlos Portinho (PL-RJ), autor da Lei Ordinária 14405/2022, que possibilitou a aprovação, por dois terços dos votos dos condôminos, da a mudança da destinação de edifícios (comerciais para residenciais ou vice-versa) ou da unidade imobiliária, entre outros.

Informações e inscrições: https://www.aliancacentrorio.com.

Inspiração

A Aliança Centro-Rio foi inspirada no projeto canadense Business Improvement Discrict (BIDs), para revitalizar áreas urbanas por meio da celebração de parcerias público-privadas. De acordo com os BIDs, proprietários e empresários ficam responsáveis pela zeladoria, segurança e limpeza adicionais às prestadas pelos órgãos públicos. As BIDs também são responsáveis pela criação de campanhas de promocionais da região atendida, para atrair público e novos negócios. Somente a cidade de Nova Iorque (EUA) conta com 76 BIDs. A iniciativa já está presente em países, como: Austrália, México, Nova Zelândia, África do Sul, Reino Unido, Alemanha, Cingapura, Holanda, Espanha, Portugal, Bélgica, Irlanda. Ao todo, são mais de 1.200 BID’s espalhados por regiões comerciais em todo o mundo.

No Brasil, o deputado federal Pedro Paulo (PSD/RJ) apresentou à Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 250/2020, que estabelece a versão brasileira do BID, através das Áreas de Revitalização Econômica (ARE). Se aprovada, a proposta que está em tramitação no Congresso Nacional, permitirá que a iniciativa privada ofereça serviços complementares aos prestados pelo poder público, através de Organizações Privadas de Revitalização Econômica (OPREs). Tais entidades são configuradas como Pessoa Jurídica de direito privado, sem fins lucrativos e criadas especificamente para recuperar, desenvolver e manter uma única ARE. Pelo PL, as AREs, assim como os BIDs internacionais, devem custeadas por meio de uma contribuição calculada a partir do valor venal dos imóveis não residenciais para fins de cobrança do IPTU, limitado até o máximo de 5%.

Sobre a Aliança Centro-Rio

A Aliança Centro-Rio concentra sua atuação no Centro, que conta – segundo dados oficiais – com mais de 300 mil profissionais e 60 mil empresas, com faturamento de aproximadamente R$ 560 bilhões anuais, cifra que corresponde a 32% do faturamento da capital fluminense, segundo a agência Rio-Negócios, que é responsável pela condução dos trabalhos da Aliança, e é uma entidade sem fins lucrativos que atua há 24 anos na promoção e captação de investimentos e geração de empregos para a cidade.

Participam do projeto 28 associados, entre empresas imobiliárias  e importantes prédios do Centro do Rio, como: Opportunity, São Carlos, Sérgio Castro Imóveis, Multicentros Floriano, GTIS Partners, Kinea, GIC, Autonomy Investimentos, Mark Building, Engepred, Construtora Internacional, Menezes Côrtes, Previ, BR Properties, BSP Empreendimentos, Cury, Kinea, Centro Cândido Mendes, Innova, Shopping Paço do Ouvidor, Sloper Corporate, Sinduscon Rio, Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Rio de Janeiro (Seac-RJ), Edifício Linneo de Paula Machado, Edifício Bolsa do Rio, Confeitaria Colombo e Tishman Speyer.

Mais de 60 prédios da região são representados pela associação,  totalizando 750 mil/m2 construídos e mais de R$ 7 bilhões em investimentos. O monitoramento da zeladoria do Centro realizado pela equipe da Aliança mudou a cara do Centro; inspetores contratados pela organização andam pela região e anotam problemas de todos os tipos, geolocalizam estes problemas, reportam à prefeitura cada um deles e monitoram a solução. Atualmente mais de 79% dos problemas reportados têm sido resolvidos pela subprefeitura e demais órgãos da municipalidade.

Os interessados em participar da Aliança Centro-Rio podem fazer o cadastro no site.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Aliança Centro-Rio completa 2 anos com evento para discutir novos rumos para a região
Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Aliança Centro-Rio completa 2 anos com evento para discutir novos rumos para a região
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui