Alunas do CAp UERJ ganham bolsa integral para estudar no Japão

As estudantes do 3º ano do ensino médio Carolina, Esther e Manuella passaram por um vestibular especial disponibilizado pela Universidade de Estudos Estrangeiros de Tóquio

Foto: UERJ

Três alunas do Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira (CAp-Uerj) foram aprovadas para cursar graduação na Universidade de Estudos Estrangeiros de Tóquio (TUFS), a partir de abril de 2023. As estudantes do 3º ano do ensino médio Carolina Prates Bhering, Esther Magno Dias da Silva e Manuella Nobre Oliveira da Cunha terão bolsa integral do governo japonês, durante os quatros anos.

 Esta é a oitava edição do Vestibular Especial TUFS, fruto do convênio de cooperação e intercâmbio entre as duas universidades, firmado em 2000. Ao todo, 22 alunos do CAp já foram beneficiados. A graduação é bacharelada em “Língua e Estudos de Área em Japão”. Após a conclusão do curso, o diploma pode ser revalidado no Brasil na área de Relações Internacionais, por exemplo.

“Eles vivenciam experiências inigualáveis e poderão contribuir para a construção de pontes mais sólidas entre os dois países”, afirma a coordenadora do processo seletivo e professora do setor de Japonês do Instituto de Letras da Uerj, Elisa Figueira de Souza Corrêa.

“Acredito que esses ex-capianos levarão o bom nome do Brasil e da Uerj para o Japão. E nosso país tem ainda muito a aprender com esta nação tão geograficamente distante, mas historicamente próxima de nós. Será um prazer acompanhar o futuro desses jovens e ver os frutos que colheremos da experiência deles”, aponta.

Manuella Nobre, 18 anos, prevê que o período no Japão será enriquecedor tanto para sua trajetória acadêmica quanto pessoal. “Venho de família grande, então nunca tive muito espaço. Creio que vou aprender muito nesse tempo tão longe de casa”, afirma. Ela espera conhecer mais profundamente o país asiático durante o período da graduação. “É, definitivamente, diferente do Brasil. Acho que essa foi uma das coisas que mais me chamaram a atenção quando pensei em me inscrever na faculdade. Além de ser rico em cultura, com uma língua que me interessa muito”, diz.

Dividindo sua atenção entre o TUFS e os demais exames, como o Enem e o Vestibular Estadual, Esther Magno, de 18 anos, percebeu, com a aprovação, que o sonho de estudar no exterior não era impossível como imaginava. Agora ela aguarda ansiosamente por experiências únicas, tendo em vista o ambiente multicultural proporcionado pela universidade de Tóquio, além de conhecer os hábitos e a língua local. “O Japão é um dos poucos países que mantiveram suas culturas altamente preservadas, mesmo depois de muitos conflitos e dominações. Isso me atrai bastante”, acrescenta.

Carolina Bhering, 17 anos, também admira as tradições milenares japonesas e está empolgada para morar e estudar naquele país. A futura bolsista encara o desafio como uma jornada de aprendizado e amadurecimento pessoal.

“É uma oportunidade de interagir com pessoas de diferentes culturas e países, então eu planejo absorver o máximo de conhecimento que eu puder durante o meu tempo lá. Realmente acredito que viver nessa atmosfera internacional vai me fazer crescer como pessoa e me ajudar a alcançar meus objetivos na vida”, afirma.

Seleção

Na primeira etapa da seleção, os candidatos apresentaram certificado de proficiência em inglês, histórico com as notas do ensino médio, uma carta de intenção redigida em inglês pelo próprio aluno e outra de recomendação, emitida pelo CAp-Uerj.

Na segunda fase, os estudantes fizeram uma entrevista remota, também em língua inglesa. Todo o processo foi realizado pela Universidade de Estudos Estrangeiros de Tóquio. Mesmo sem vagas reservadas em edital, o CAp conquistou três das dez bolsas ofertadas para escolas de diferentes países.

O diretor da unidade, Thiago Corrêa, ressalta a satisfação proporcionada pelas novas aprovações. “Essa notícia indica que o Instituto de Aplicação segue com seu nível de excelência, mesmo com as dificuldades e desafios impostos pelo pós-pandemia. A parceria com a TUFS é muito importante para o CAp e para a Uerj, sendo uma oportunidade ímpar para nossos estudantes, representando o papel que o CAp tem de transformar a vida das pessoas”, conclui.

Fonte: UERJ

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui