Andréa Nakane: A magia que sai do forno

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

Ohana Rodrigues, natural e moradora de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, tem sua formação profissional inicial na área de odontologia, inclusive com pós-graduação em reabilitação oral/prótese dentária, mas hoje se dedica a algo que muitos colegas de profissão ficariam literalmente boquiabertos, não só pela gostosura que é, mas também por sua aderência com os açúcares, muitas vezes combatidos pela classe. Nesse caso os cookies.

Rege os costumes culinários, que a invenção da receita do cookie – tradução de pequenos bolos – é de origem britânica, apesar dos norte-americanos serem reconhecidos como o povo que deu mais projeção a essa iguaria, inclusive com os famosos cookies com gotas de chocolate.

Tudo indica que o cookie surgiu quando cozinheiros britânicos, lá no século XVII, iam preparar a massa para bolos e para ter certeza da temperatura ideal para assar suas produções, eles separavam um pedaço pequeno da massa e a colocavam no forno para previamente testar as condições do calor. Porém, a massa de teste, após ser assada, tornava-se um suculento biscoito, ideal para acompanhar a tradição do chá das cinco.

Voltando em terras tupiniquins, os Cookies Mágicos, surgiram em uma tarde, em plena pandemia, repleta de incertezas, quando Ohana Rodrigues e seu marido, Rafael Frambach, começaram a buscar meios para garantir sua sobrevivência, já que ambos estavam sem renda em função do isolamento físico.

Advertisement

Para passar o tempo, o casal começou a testar diversas receitas e uma delas foi justamente o de cookie, um doce para saciar à vontade por algo saboroso que pudesse satisfazer o estômago, mas também abraçasse a alma. E o resultado foi tão bom, que eles perceberam que tinham a possibilidade de uma renda em um momento tão desafiador.

Em uma semana, o casal formatou um instagram, elaborou suas técnicas de vendas, contando com a colaboração da mãe de Ohana Rodrigues, profissional da área e começaram a oferecer a iguaria, primeiramente para familiares e amigos próximos, que acabaram aprovando e tornaram-se, não só consumidores fiéis, mas também divulgadores dos Cookies Mágicos.  

Para chegar à receita ideal, foram muitos meses de tentativas, testes, com novos sabores, novos insumos, para que chegassem a fórmula ideal e que realmente representasse seu produto como sendo algo mágico e, assim estava construída a história inicial dos Cookies Mágicos, que começaram a invadir os quatro cantos do Rio de Janeiro.

Até então, realmente, não existia uma grande tradição de venda de cookies na cidade e cercanias, mas o produto se mostrou muito próximo ao próprio carioca way of life.

“O cookie tem tudo a ver com o Rio, principalmente pela sua versatilidade e diversidade de sabores. O cookie de frutas vermelhas, por exemplo, é ideal para um tempo mais quente, para degustar com sorvete. Acreditamos que estamos ampliando uma cultura, até pouco tempo bem tímida, de consumo de cookies pelos cariocas, que tem se rendido as receitas mais artesanais, que realmente deixam todos com água na boca.” revela Ohana Rodrigues.

Logo o quarto de hóspede, que inicialmente foi transformado em atêlie de produção, não era mais suficiente e seu marido que ficou liderando a produção sozinho, quando a pandemia demonstrava estar mais sob controle percebeu que o negócio só iria prosperar com algumas iniciativas.

Uma delas fez com que Ohana Rodrigues abandonasse o consultório dentário para se dedicar completamente ao negócio dos cookies, além de alugarem um espaço maior para acompanhar a demanda e até mesmo contratar funcionários.

Para ganhar mais segurança e assertividade, Ohana Rodrigues e seu marido começaram a realizar uma série de cursos não só vinculados a área de confeitaria, mas também em capacitações de empreendedorismo para sustentar o crescimento da empresa.

Hoje, a oferta de cookies tem 12 sabores disponíveis, destacando-se os de chocolate com doce de leite, o de creme de avelã, o red velvet e chocolate duo.

Além disso outras variações foram incorporadas ao cardápio, como fatias de torta cookie. Um dos protagonistas de maior sucesso no cardápio é a Torta S´Mores que tem em sua composição marshmallow e brigadeiro de creme de avelã, além da Banoffee de Cookie, feita de massa de cookie com gotas de chocolate, uma camada de doce de leite cremoso e suave, banana com toque de canela  e cacau polvilhado. É para ficar com água na boca, mesmo!

“A gente busca sair do convencional, não é porque a gente é especialista em cookie, que só iremos ofertar esse produto, o universo dos cookies é infinito, com possibilidades diversas que acabam surpreendendo o paladar dos nossos clientes. Temos como visão de negócio explorar as datas comemorativas com produtos específicos, desenvolvidos para as ocasiões festivas” declara Ohana Rodrigues.

E a mais novidade do momento é a linha de festas, com mini cookies de 40 gramas e mini sanduíches de cookies, com 28 gramas, com pedido mínimo de 50 unidades. 

“Os clientes dizem que não conseguem mais deixar de saborear os Cookies Mágicos, que o sabor é inigualável e acabam nos ajudando a pensar diferente. Foi assim que chegamos ao nosso lançamento da linha festa, com nossos produtos prontos para servir em aniversários, casamentos e qualquer outro tipo de festividade.” conta Ohana Rodrigues.

Para conhecer a rota de entregas, os sabores e prestigiar essa nova mania degustativa dos cariocas, é só seguir @cookiesmagicos_

A veia do empreendedorismo está constituída no DNA do carioca. Possivelmente uma ideia, em um momento até difícil, pode se tornar o começo de um novo negócio… E isso não é magia, isso é trabalho e empenho! Muito bacana… e no caso, dos cookies mágicos, muito saboroso!

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Andréa Nakane: A magia que sai do forno
Andréa Nakane é carioca, apaixonada pela Cidade Maravilhosa, relações públicas, professora universitária, Doutora em Comunicação Social e Mestre em Hospitalidade.Embaixadora do RJ. Vive há 20 anos em Sampa e adora interagir com pessoas singulares que possam gerar memórias afetivas construtivas.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui