Andréa Nakane: Samurais da Esperança

Colunista do DIÁRIO DO RIO fala sobre projeto sócio-esportivo-educacional, Samurais do Morro

O projeto sócio-esportivo-educacional, Samurais do Morro, foi idealizado durante a Pandemia, em 2020, e inaugurado no mesmo ano no mês de setembro. Dentre as pessoas idealizadores estão os professores Cláudio Carelli (43 anos), Alessandro Bragança (41 anos) e Renan Pinto (40 anos), além do jornalista e profissional de marketing, Fabio Lacerda (45 anos), todos cariocas e ávidos em fazer a diferença na vida de muitos jovens de origem humilde.

Ao longo destes 24 meses de existência, o projeto Samurais do Morro mantém o contingente de alunos. Para ser um samurai, os responsáveis precisam, dentre algumas exigências, apresentar um comprovante de matrícula escolar nas redes municipal e estadual de ensino na cidade do Rio de Janeiro.

O projeto Samurais do Morro vive de contribuições financeiras de três micro varejistas do comércio no bairro de São Cristóvão, uma vez que é desenvolvido no Instituto Cultural Neide do Samba.

Antes da nova locação, o projeto iniciou no Conjunto Habitacional Prefeito Mendes de Moraes, cenário para os filmes ‘Central do Brasil’ e ‘Velozes & Furiosos II’ e acesso ao morro do Tuiuti. Atualmente, o projeto totaliza 60 crianças e adolescentes, maioria esmagadora entre as faixas etárias de seis a dez anos. 

O projeto Samurais do Morro visa agregar o esporte com saúde e educação. Sendo assim, há mais de um ano existe uma parceria com o Instituto Juntos Pelo Bem – www.juntospelobem.org e @institutojuntospelobem – que oferece atendimentos psicológico, odontológico e reforço escolar aos atletas.

Este ano, o projeto Samurais do Morro oficializou um convênio com o departamento Cetreina Externo da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – www.cetreina.uerj.br – para promover aos graduandos de Educação Física, com perfil do Judô, seguindo a exigência de serem faixas marrom ou preta, a oportunidade de cumprimento das 30 horas/aula para formação acadêmica. 

Ainda no âmbito das parceiras, o projeto Samurais do Morro tem relação com a ONG Dress a Girl Around the World que é uma instituição filantrópica, sediada em Portugal, que confecciona shorts e vestidos para entrega na África, Brasil e outros países totalizando 33 nações (mais de 135 milhões de crianças e adolescentes assistidos), com o propósito de um figurino que possa cobrir o máximo possível a parte íntimas das nossas crianças. O projeto também possui uma parceria com o grupo petropolitano Usando o Bem – @usandoobem. 

Um dos objetivos do projeto e a formação de uma turma com os alunos para iniciação de curso de idiomas. No final de junho, o projeto Samurais do Morro acertou um convênio com o Instituto de Letras da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), para a iniciação do idioma adicional Espanhol a partir de agosto até novembro – aulas online com os graduandos em Letras este ano. Em 2023, a intenção é aumentar a presença de nossos judocas junto ao curso de Espanhol.  

Em 2021, os atletas entre seis e dez anos tiveram a primeira experiência de participar de competições, e para 2022, com a evolução das crianças e adolescentes vacinados, o calendário de competições será mais extenso e mais oportunidades para climatização dos atletas para uma vida competitiva no esporte. 

Atualmente, o projeto tem a honra de ter em seu quadro de atletas federados a campeã brasileira regional III, Clarisse Vallim (sub-13 I +60 quilos), Débora Cristina dos Santos, campeã da terceira etapa do Campeonato Carioca (sub-18 I 48 quilos) e Nicolas Silvestre, medalhista de bronze (sub-15 I 73 quilos). 

O projeto Samurais do Morro está com seu Estatuto pronto para obtenção de CNPJ, e consequentemente, buscar recursos através da Lei de Incentivo ao Esporte em 2023, levando em conta a votação favorável ocorrida no dia 5 de julho, no Congresso Nacional, que ampliou o investimento de Pessoas Jurídicas e Físicas no abatimento no Imposto de Renda – Projeto de Lei 940/22.

Projetos assim, nos dão muita esperança na idealização de um mundo melhor, além de nos encher de orgulho, por ter tantos talentos esportivos revelados. Que tenhamos muito mais Samurais presentes entre nós!

Andréa Nakane é carioca, apaixonada pela Cidade Maravilhosa, relações públicas, professora universitária, Doutora em Comunicação Social e Mestre em Hospitalidade.Embaixadora do RJ. Vive há 20 anos em Sampa e adora interagir com pessoas singulares que possam gerar memórias afetivas construtivas.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui