Andréa Nakane: Sensibilidade Artística Feminina Ganhando o Mundo

Colunista do DIÁRIO DO RIO fala sobre Paula Scamparini, professora do curso de Artes Visuais e Escultura da UFRJ e artista plástica que vem ganhando cada vez mais projeção internacional com suas obras

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Paula Scamparini Ferreira, mas conhecida como Paula Scamparini, 43 anos, natural de Araras, São Paulo, moradora do bairro de Jardim Botânico, é professora do curso de Artes Visuais e Escultura da UFRJ e artista plástica que vem ganhando cada vez mais projeção internacional com suas obras.

Com formação em artes visuais pela UNICAMP-SP, Paula Scamparini atuou com direção de arte por dez anos e já realizou diversas exposições nacionais e internacionais, sendo a última, em exibição no Centro Atlântico de Arte Moderno, em Las Palmas de Gran Canaria, território espanhol, até dia 3 de junho de 2023, onde faz um olhar retrospectivo de sua carreira apresentando obras inéditas

” O convite veio pelo diretor do CAAM, Orlando Britto Jinório, que é curador também. Em 2011, eu fiz meu primeiro trabalho com ele. Ele tem um olhar para arte fora do eixo.  Foi ali também que eu recebi outros convites para exposições importantes para minha trajetória, com em Portugal. Com a chegada da pandemia, a exposição veio a acontecer agora“, revela Paula Scamparini.

As obras da artista refletem uma plena representatividade das mulheres, exercendo uma interlocução com a temática feminina sob aspectos da liberdade, nudez, multiplicidade, vigoridade e fecundidade.

Advertisement

Leia também

Rio terá observatórios para estudos climáticos; 1º será no Complexo do Alemão

Balão é ‘abatido’ antes de cair no Aeroporto do Galeão

Intitulada Matriz, a exposição faz um mergulho na carreira de Paula Scamparini e está estruturada em cinco salas intituladas: ‘carregadoras, brincantes, ninar’, no segundo andar do museu. O projeto artístico exibe composições fotográficas, instalações e vídeos abordando a jornada existencial feminina, em corpos nus, carregando um projeto de vida, “em busca de sentido”, como pontua a artista, culminando no arcabouço imaginário do papel materno.

“Nesse momento, como mulher, é desafiador reassumir o meu espaço enquanto artista de produção, sendo mãe de uma criança de três anos, buscando dar conta das ocupações profissionais e da rotina. Assim como muitas mulheres mães, que constantemente negociam as demandas rotineiras com a própria existência”, questiona Paula Scamparini.

Por enquanto não há perspectiva dessa exposição ganhar uma montagem no Brasil, mas segundo Paula Scamparini sendo a mesma itinerante, é facilmente transportada, já que o projeto pode ser desenhado para outros espaços. No momento, ela está buscando outros espaços na Europa, mas seria um sonho reproduzi-la no seu próprio país.

Já de imediato, à curto prazo, Paula Scamparini está desenvolvendo dois projetos: uma exposição na cidade do México, que ocorrerá possivelmente em agosto desse ano, com fotos e peças em cerâmicas e metal e o retorno do projeto Orun com lançamento em Dallas, Estados Unidos.

“Eu considero um dos mais importantes da minha carreira, porque eu pude retornar para o meu país e deixar de lado o papel da artista plástica mulher e estrangeira na Europa. Em Orun, eu pude reunir o céu, em diferente paisagens e culturas do meu Brasil. É um projeto que reúne 62 vídeos com áudio aberto, em um único espaço, onde é possível conferir 62 pessoas de diferentes lugares do país falando sobre o céu.”, conta Paula Scamparini.

Para manter-se informado dos rumos da artista, vale a pena seguir sua conta no instagram @paulascamparini

A sensibilidade da maioria dos artistas estimula a sensibilidade de todos nós, que por meio das expressões oriundas de suas percepções e criatividade transmitem cultura, faz nossos olhos brilharem e geram reflexões profundas. Viva Intensamente à Arte!

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Andréa Nakane: Sensibilidade Artística Feminina Ganhando o Mundo

Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Andréa Nakane: Sensibilidade Artística Feminina Ganhando o Mundo
Andréa Nakane é carioca, apaixonada pela Cidade Maravilhosa, relações públicas, professora universitária, Doutora em Comunicação Social e Mestre em Hospitalidade.Embaixadora do RJ. Vive há 20 anos em Sampa e adora interagir com pessoas singulares que possam gerar memórias afetivas construtivas.
Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui