Foto: Google

Quem via o mega terreno vazio que surgiu da demolição da centenária escola católica, se perguntava o que surgiria ali. Mesmo sem saber exatamente o que ocorreria no espaço, sabia-se que seria algo grande. O terreno chegou a ser avaliado por 50 milhões de reais e iria a leilão em 2018 pelo martelo do leiloeiro Paulo Botelho. O terreno chegou a ser comprado pela construtora Concal, mas acabou nas mãos da Cyrela, e agora o destino do grande terreno de quase 8.000m2 está selado; será um mega condomínio com a maior área de lazer de toda a Tijuca, em plena rua Mariz e Barros.

Desde 2019 sem lançamentos de alto padrão, o tradicional bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro receberá o audacioso projeto da construtora RJZ Cyrela. A empresa está lançando o Atmosfera Condominium Park, um empreendimento que tenta oferecer um novo jeito de viver para os moradores da adensada Zona Norte carioca. Um condomínio daqueles que só se vê na Barra, mas no coração do bairro mais querido da região.

O novo condomínio será o primeiro na Tijuca com uma área de lazer de 4 mil metros quadrados, inovando tanto pelo tamanho quanto pelo mix de opções. Outra modernidade é o sistema ”Flex On”, que permitirá ao cliente personalizar seu imóvel do seu jeito diretamente com a construtora e criar novas funções para os ambientes, ampliando ou integrando, de acordo com as necessidades de cada um.

A empresa aposta mesmo na personalização. No Atmosfera, além de personalizar a planta e os acabamentos, o cliente ainda poderá escolher entre varios tipos de acessórios, como armários, ar-condicionado, aquecedor, acesso biométrico e blindex no box.

”É muito bom trazer tantas novidades para essa região que é carente de empreendimentos com áreas de lazer nos padrões dos condomínios da Barra da Tijuca. Sobre o Flex On, já havíamos implantado em outros condomínios, e o Atmosfera reafirma nosso compromisso de entregar a casa dos sonhos”, diz Carlos Bandeira de Melo, da RJZ Cyrela.

Entre as opções que os mais de 4 mil metros quadrados de área de lazer comportam para a família, estão: piscinas climatizada e infantil, deck molhado e solarium, pool bar, sauna úmida, espaço fitness indoor e outdoor, playground, spa aquecido, brinquedoteca e salão de jogos e quadra poliesportiva, algo incomum na região. Também terá mais de 1.000m2 de paisagismo verde.

E, tentando adaptar-se aos tempos de pandemia, o empreendimento conta ainda com um meeting lounge, espaço híbrido que poderá ser utilizado tanto para festas quanto para coworking. Entre outras facilidades, os clientes ainda terão personal concierge, central de facilidades pay per use (serviços que você só paga se usar), central de encomendas, fitness support, pool bar com operação terceirizada com consumação mínima garantida na taxa de condomínio, fast market e tomadas para bike elétrica.

Localizado em uma das ruas mais famosas da região, a Mariz e Barros, o empreendimento está cercado por comércio, supermercados, shoppings, restaurantes, hospitais e clínicas, praças, além da proximidade com 2 dos principais pontos turísticos do Rio: Maracanã e Quinta da Boa Vista. Além disso, a localização é atendida por duas estações de metrô, Afonso Pena e São Francisco Xavier.

O residencial será construído em um terreno de mais de 8 mil metros quadrados que será composto por 4 blocos diferentes. Ao todo, serão 264 unidades de 3 e 4 quartos com suíte, de 88 a 204m², divididos entre apartamentos e gardens (os térreos tipo casa, gourmetizados). Todas as unidades terão direito a vaga na garagem. Os gardens serão entregues com porcelanato retificado na sala e laminado nos quartos, já os apartamentos serão entregues com piso laminado na sala e quartos.

O projeto segue uma linha sustentável, com infraestrutura para coleta seletiva de lixo e sistema de reuso de águas pluviais, além de diferenciais de acessibilidade e sistema de segurança.

Especialista em venda de imóveis na Tijuca, o Diretor da Sergio Castro Imóveis Wilton Alves disse ao DIÁRIO: “este é exatamente o tipo de imóvel que, se existisse com mais frequência no bairro, teria evitado o êxodo de tantas famílias com filhos para a Barra da Tijuca. Na insegurança em que vivemos, não tenho dúvida que a área de lazer e a área verde serão um ponto alto deste empreendimento. Sem dúvida, com a entrega das chaves, haverá uma grande valorização”.

5 COMENTÁRIOS

  1. E mais horrível ainda é ver uma escola dar lugar a um arranha céu, principalmente, quando a Educação segue à míngua e os desabrigados estão por toda a parte.

  2. Tijucano que gosta dessa cafonalha muda pra Barra… Horríveis essas torres como quase tudo que a RJZ faz,vide a vila olímpica fracassada que não vendeu nem metade…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui