Após Assaí encerrar atividades, comerciantes são despejados de galeria na Tijuca

Representantes do Assaí, que aluga o imóvel principal, teriam avisado aos comerciantes que o prédio teria suas atividades encerradas no próximo dia 31 de dezembro

Foto: Divulgação

O encerramento das atividades da loja Assaí Atacadista na Rua Uruguai, na Tijuca, causou preocupação em moradores e comerciantes. O motivo é que, segundo o Portal Grande Tijuca, representantes do Assaí, que é inquilina de todo o complexo, teriam avisado aos comerciantes que sublocam as lojinhas da galeria do prédio que todos devem encerrar suas atividades no próximo dia 31 de dezembro, tendo até 12 de janeiro para esvaziamento de suas lojas e entrega das chaves ao proprietário.

No prédio há comércios de todos os tipos: restaurantes, loja de roupas, sapatos, loja de departamento, lotérica, loja de móveis planejados, banca de jornal, confeitaria, loja de decoração, material de informática. Inclusive, uma farmácia, antes do “aviso prévio”, havia gasto dinheiro com novo mobiliário e estrutura para se estabelecer na galeria.

Além dos comerciantes, moradores do entorno da Rua Uruguai mostraram preocupação e insatisfação com a situação. Um abaixo-assinado virtual circula nas redes sociais contra o despejo e o fim do comércio.

O administrador de imóveis Wilton Alves, diretor da Sergio Castro Imóveis, explica que o procedimento está correto, apesar de ser má notícia para os comerciantes e moradores: ”Se as lojas eram sublocadas pela inquilina aos lojistas, quando o contrato mãe, entre inquilina e proprietário de todo o complexo, é encerrado, morrem os contratos acessórios se sublocação. O acessório sempre segue o principal”, assevera.

Em nota, a Assaí Atacadista informou em nota que “As atividades do Assaí localizado na Rua Uruguai foram encerradas no dia 23 de novembro por conta da abertura da nova loja na Av. Maracanã, também localizada no bairro da Tijuca, e que oferece uma unidade modernizada, maior e com grande variedade de produtos e serviços para atender à demanda da região. Todos os lojistas dessa galeria foram contatados individualmente para discutir seu contrato, num esforço do Assaí em oferecer um atendimento individual e personalizado. A partir da critérios da Companhia e da análise contratual realizada com cada um deles, alguns desses lojistas foram convidados a se transferir para a unidade da Av. Maracanã, uma nova loja, maior e com mais capacidade de clientes. Aqueles que estavam com contrato vencido e continuavam trabalhando no espaço, foram avisados e receberam aviso prévio de 30 dias para desmobilização. A Companhia ainda está em processo de negociação com alguns lojistas, que serão procurados nos próximos dias.

O Assaí manterá o imóvel aberto a pedestres, mesmo sem operar no local, enquanto a galeria de lojas estiver funcionando. A Companhia reforça que é locatária do imóvel da Rua Uruguai. Assim que finalizado o contrato, o imóvel retorna para a responsabilidade do proprietário.

Advertisement

8 COMENTÁRIOS

  1. O que ninguém fala é que a segurança no estacionamento do local é péssima, sendo diversos os informes de roubos e furtos (parece ser um mal desse hipermercado). A maior parte das lojas ficam as moscas, só tendo movimento por conta do povo que ia ao Assaí. Quanto ao tal abaixo assinado, estavam divulgando em diversas redes sociais, pois a adesão está fraca.
    E duvido que o local já não tenha interessado. O Casa Show, que ficava em frente, um mês depois de fechar, estava em obras para receber uma mega loja da rede Chatuba. A região tem condições de receber mais uma grande rede, mas só valerá a pena se for o Mundial ou Carrefour, já que nas proximidades já existem Guanabara, Supermarket e Assaí. O Carrefour voltar, seja com loja própria ou Atacadão, acho mais difícil.

  2. Em todas as profissões há os mal caráter. O Serviço Regular de Transporte Individual de Passageiros (TAXI), é o serviço municipal mais fiscalizado do Rio. Trabalhei 30 anos e tenho orgulho em dizer, nunca tive problema LEGAL de espécie alguma com as autoridades, com excessão para multas corriqueiras. De fato, andar de Táxi não é para qualquer bolso então para os baixa renda mi mizentos, continuem usando os UBIs, os Berits, os busão, porque Táxi e transporte individual com CUSTO MUITO alto para quem oferece esse serviço.

  3. O que aconteceu com o táxi é culpa do próprio táxi. Com um histórico enorme de péssimo serviço e principalmente aqui no Rio literalmente ROUBANDO dos clientes com seus “chupa-cabra” e demais artimanhas
    Era óbvio então que dado o enorme descontentamento, a primeira opção “melhorzinha” que aparecesse, ia ser escolhida pelo público. Agora já era.

  4. Infelizmente para moradores e comerciantes , ACONTECE ! Sou taxista e com a.chegada do transporte pirata Ubi, minha renda tbm DESPENCOU, mais aos poucos fomos nos adaptando e mostrando ao mercado que nosso serviço, legalizado e fiscalizado, oferece melhores condições aos usuários .

    • a ideia do ”taxi é pra quem pode” pegou mal hein.
      ja fiz trajetos iguais de taxi e uber, a tarifa do taxi dá um duplo twist carpado no preço… quem aguenta?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui