Associação Comercial do Rio divulga nota de repúdio a operação arbitrária contra empresários

O presidente da ACRJ, José Antônio Brito, afirma que é irrazoável que conversas privadas sejam expostas e manifestações de opinião, criminalizadas

Prédio-sede da ACRJ - Foto: Reprodução/Google Maps

Na manhã desta quarta-feira, (24/08), o presidente da Associação Comercial do Rio (ACRJ), José Antônio “Josa” Nascimento Brito, divulgou uma declaração repudiando a operação da Policia Federal contra empresários do Rio de Janeiro e Brasil, ordenada pelo Ministro do STF Alexandre de Moraes, sem consulta à Procuradoria Geral da República.

“É absolutamente irrazoável que conversas em redes privadas – insuscetíveis, por isso, de configurar qualquer ameaça – ainda que em termos veementes, recebam a reposta extremada que sofreram. Quebra de sigilo bancário, congelamento de contas, invasão de residências e de empresas são medidas extremas admitidas, apenas, contra suspeitos de crimes graves, jamais contra manifestações de opinião”, declarou Josa.

Na última terça-feira, (23/08), um grupo de empresários virou alvo de mandados de busca e apreensão determinados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Nos textos privados enviados pelo aplicativo, um dos empresários, que seriam apoiadores do presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL), cita preferir “um Golpe” caso o candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vença as eleições de outubro para a Presidência da República. As mensagens esparsas foram pinçadas do grupo “Empresários & Opinião” e reveladas pelo site Metrópoles, que teve acesso a elas de forma não revelada. O Metrópoles pertence ao grupo empresarial do ex-senador Luiz Estêvão.

Em nota, a Associação Comercial do Rio ainda informa que a entidade de representação empresarial não está emitindo juízo de valor quanto às opiniões e militância política dos seus representados, “mas, tem o dever de testemunhar a coragem e a competência de empreendedores que arriscam seu patrimônio e seu trabalho colaborando com a riqueza do país”.

José Isaac Pérez

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Um dos alvos do STF foi o empresário José Isaac Pérez, associado da ACRJ. Recentemente o empresário recebeu da organização o prêmio de Empresário do Ano.

“O empresário construiu a marca de Shopping mais importante do Brasil – BarraShopping e durante a pandemia investiu mais de 1 bilhão de reais em novo empreendimento no Rio de Janeiro, o Shopping Jacarepaguá. Independentemente de suas escolhas políticas, Pérez acredita no Brasil e contribui notavelmente para o seu desenvolvimento”, reforça a ACRJ.

Associação Comercial do Rio (ACRJ)

Foto: Reprodução/ACRJ

A Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) é uma das mais antigas entidades de representação civil do país que, criada em 15 de julho de 1809, contribui para o desenvolvimento econômico do estado do Rio de Janeiro e atua na defesa dos interesses da classe empresarial fluminense.

Órgão técnico e consultivo do Governo Federal, presta grande serviço ao país no estudo, debate e trata da apresentação de soluções para os problemas que se relacionam à economia nacional.

Atualmente é comandada pelo presidente José Antônio “Josa” Nascimento Brito. Ele é o proprietário da Rádio JB, e sua família foi dona do Jornal do Brasil, noticioso extinto há alguns anos.

Foto: Reprodução/ACRJ

José iniciou suavida profissional aos 14 anos, trabalhando como estagiário de fotografia no Jornal do Brasil, onde acabou por fazer parte de sua carreira. Lá também foi repórter, editor e executivo. Estudou Direito por dois anos, quando decidiu mudar o foco acadêmico. Formado e pós-graduado em Relações Internacionais pela George Washington University, Washington DC.

Entre 2008 e 2011 foi presidente do Gavea Golf & Country Club e membro do Conselho do Comitê Organizador das Olimpíadas do Rio de Janeiro. Terminou recentemente o mandato de quatro anos como vice-presidente de Desenvolvimento Estratégico da ACRJ. Atualmente, além de suas funções empresariais, é presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro – ACRJ e da Associação das Emissoras de Rádio e TV do Estado do Rio de Janeiro – AERJ.

Nota

No final da nota, José Antônio ainda ressalta que o país precisa de paz e liberdade.

“O Brasil precisa de paz e de harmonia para que possamos construir um futuro de prosperidade e desenvolvimento, com segurança às empresas e empreendedores e temos a convicção de que o STF precisa ser o catalisador desse processo”.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui