Ato no Centro do Rio marcará os seis anos dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes

A vereadora Monica Benicio, viúva de Marielle, fará um ato simbólico no dia 14, a partir das 8h, nas escadarias da Câmara Municipal do Rio, na Cinelândia

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Os assassinatos de Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes completam seis anos nesta quinta-feira (14/03) sem que os mandantes tenham sido identificados e responsabilizados. As motivações do crime também permanecem desconhecidas. A vereadora Monica Benicio, viúva de Marielle, fará um ato simbólico no dia 14, a partir das 8h, nas escadarias da Câmara Municipal do Rio, na Cinelândia. Uma grande faixa será estendida na fachada do Palácio Pedro Ernesto cobrando respostas do Estado brasileiro.

“Já faz seis anos que arrancaram minha esposa do meu convívio diário. Já faz seis anos que executaram a liderança política feminista, negra e socialista, que lutava pela dignidade da favela. Já são seis anos do assassinato político mais impactante das últimas décadas, do crime que abalou a nossa democracia e segue sem respostas. Já são seis anos lutando, incansavelmente, por justiça. Nesse ato vamos gritar em alto e bom som que não iremos descansar enquanto não soubermos quem mandou matar Marielle e por quê. O Brasil, as famílias e a sociedade precisam e exigem essas respostas”, desabafa Monica.

Às 10h será realizada uma missa na Igreja Nossa Senhora do Parto, na Rua Rodrigo Silva, nº 7, Centro do Rio. Logo depois, a partir das 11h, haverá um segundo ato por justiça no tradicional Buraco do Lume, na Praça Mario Lago. A concentração será em frente à estátua de Marielle. Em seguida, os manifestantes farão uma passeata até a Câmara de Vereadores. Essas atividades são organizadas pelo Instituto Marielle Franco (IMF).

A militância do PSOL, partido pelo qual Marielle foi eleita vereadora em 2016 com mais de 46 mil votos, também está organizando ações pontuais em vários bairros da cidade, com a colocação de faixas e cartazes para marcar os seis anos do crime bárbaro que chocou o Brasil e o mundo.

Advertisement

A expectativa é que Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz, acusados de fazer os disparos e de dirigir o carro usado no crime, respectivamente, irão a júri popular ainda este ano.

“Seis anos é muito tempo de espera. Cada ano sem justiça representa uma oportunidade perdida de confrontar a impunidade. A luta por justiça por Marielle não é apenas por ela, mas por todos os corpos que esse Estado julga descartáveis e que não protege, não garante direitos, cidadania e muito menos reparação às suas famílias. Lutamos para que vozes corajosas como a de Marielle possam ser ouvidas e respeitadas. Nossa indignação é combustível para construir um novo mundo, onde Marielles possam florescer sem temer por suas vidas”, conclui Monica.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Ato no Centro do Rio marcará os seis anos dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes
Advertisement

6 COMENTÁRIOS

  1. Kkkk confere!!!Mas aí q graça tem?Usaram e abusaram da coitada ,antes uma completa desconhecida,mas agora só enfiando a cabeça na areia!!!Q vexame!!Kkk

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui