BNDES vai investir mais de R$ 107 milhões na preservação do patrimônio histórico nacional

O Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, é uma das instituições que estão fila do Banco. A edificação foi sede do governo republicano e do Ministério das Relações Exteriores

Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro - Wikipédia

O programa “Resgatando História”, maior programa de preservação do patrimônio histórico nacional, desenvolvido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), teve um aumento de 50% em seu orçamento. Agora serão investidos mais de R$ 107 milhões do Fundo Cultural do BNDES em ações de preservação e restauro de acervos materiais e imateriais de oito novos projetos.

O edital de licitação foi aberto esta semana. Podem se candidatar, até o dia 30/11, entidades públicas e fundações ou instituições sem fins lucrativos. O Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, é um das instituições que estão na fila do BNDES. A edificação oitocentista foi sede do governo republicano, entre 1889 e1898; e do Ministério das Relações Exteriores, entre 1899-1970. Atualmente, o Palácio sedia o Escritório de Representação do MRE e o Centro de História e Documentação Diplomática da Fundação Alexandre de Gusmão, além do Arquivo Histórico, da Mapoteca, e do Museu Histórico e Diplomático.

Na nova rodada de licitação, o Banco irá contemplar iniciativas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que receberão até 75% do valor dos projetos em investimentos, sendo o restante dos aportes oriundos da iniciativa privada. Na região Sul, o BNDES cobrirá até 67% do orçamento do projeto. No Sudeste, a instituição concederá até metade do valor do projeto.

Lançado em 2021, o programa “Resgatando História” já aprovou 21 projetos, que receberão verbas até R$ 185,1 milhões do Banco, e outros R$ 55,5 milhões provenientes da MRS Logística, Instituto Cultural Vale, Instituto Neonergia e Ambev Brasil.

O diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha, afirmou que a nova rodada de propostas deve gerar uma captação de mais de R$ 500 milhões de investimentos destinados à preservação do patrimônio histórico.

“O Resgatando a História é o maior programa de preservação de patrimônio histórico já realizado no Brasil, congregando esforços das iniciativas público e privada. Considerando o aumento de dotação orçamentária do primeiro ciclo e a nova rodada de propostas, podemos gerar mais de R$ 500 milhões de investimentos em patrimônio histórico”, disse Bruno Aranha.

As informações são do jornal O Globo.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui