Bombeiros civis e resgatistas de animais que atuaram na tragédia de Petrópolis recebem Medalha Tiradentes

“O trabalho imediato de cada profissional e voluntário envolvido no socorro às vítimas e no pós-chuva foi brilhante e merece todo o respeito," disse o deputado responsável pela homenagem

Entrega da Medalha Turadentes aos voluntários que atuaram na tragédia de Petrópolis / Foto: Júlia Passos

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) concedeu, nesta quinta-feira (17), a Medalha Tiradentes aos bombeiros civis do Grupo Especializado em Desastres Naturais (GEDEN) e aos voluntários do Grupo de Resgate de Animais em Desastres (GRAD), que atuaram nos trabalhos de resgate de pessoas e animais vitimados pelas enchentes ocorridas em Petrópolis, na Região Serrana, no início deste ano. A homenagem foi proposta pelo deputado Marcus Vinícius (PTB).

O deputado destacou o trabalho incansável empreendido pelos profissionais e voluntários das equipes de resgate. O Marcus Vinícius enfatizou que senão fossem pelos esforços de cada membro das equipes a tragédia serrana teria sido ainda mais grave.

“O trabalho imediato de cada profissional e voluntário envolvido no socorro às vítimas e no pós-chuva foi brilhante e merece todo o respeito, reconhecimento e agradecimento do povo do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil inteiro. Diversas vidas foram salvas pelo esforço incansável dos homenageados”, afirmou o deputado, que integrou a Comissão Especial da Alerj, responsável por acompanhar a tragédia.

Ao todo, 300 integrantes do GEDEM atuaram como voluntários dando suporte aos militares do Corpo de Bombeiros em todas as frentes de busca na cidade. O grupo, que atua há 41 anos na região, entrou em ação desde os primeiros momentos da calamidade em vários pontos de resgate.

Luiz Eduardo Moreira, presidente do GEDEM, afirmou que, desde o início das fortes chuvas, o grupo estava focado em assegurar que as pessoas voltassem em segurança para as suas residências. Ele afirmou ainda que 96 pessoas foram retiradas de baixo da terra, através da atuação incansável da sua equipe.

“A gente queria levar as pessoas de volta para casa com vida, se possível. Na subida e descida daqueles morros, nossa equipe conseguiu retirar 96 pessoas de baixo da terra. Em todas essas histórias o que não faltou foi amor e solidariedade,” disse o presidente do GEDEM.

Os animais não ficaram para trás na calamidade que assolou Petrópolis, graças ao trabalho desempenhado pelo Grupo de Resgate de Animais em Desastres (GRAD). A mobilização dos voluntários permitiu o resgate de 114 cães e 41 gatos, além da realocação e tratamento de coelhos, galinhas e peixes. A médica veterinária e coordenadora de campo do grupo, Carla Sássi, destacou a importância do reconhecimento ao serviço prestado. Carla disse ainda que a homenagem é a comprovação de que o GRAD está “trilhando o caminho certo”.

“Essa homenagem tem um significado muito especial para o GRAD, porque foi exatamente na Região Serrana, em 2011, que o grupo iniciou o trabalho. Hoje, são mais de 60 membros em três estados do país, mas na época não imaginávamos o tamanho da importância e proporção do nosso serviço. Estar aqui é a comprovação de que estamos trilhando o caminho certo. O grupo é muito unido, técnico, e trabalha com o coração”, declarou Carla Sássi.

Peritos papiloscopistas e motociclistas que prestaram serviço e ajudaram a população também foram agraciados com a Medalha Tiradentes.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui