Embora existam relatos anteriores, o primeiro documento formal da posse da Marambaia foi registrado em 1856, em nome do comendador Breves. Breves morreu em 1889, passando a região para sua viúva.

[iframe width=”100%” height=”90″ src=”https://diariodorio.com/wp-content/uploads/2015/05/superbanner_66anos.swf-3.html”]
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis contribui para a valorização da cultura carioca

No ano de 1908, a Restinga se tornou, oficialmente, da Marinha do Brasil. Lá, no mesmo ano, foi instalada a Escola de Aprendizes-Marinheiros. Outras atividades da Marinha também são realizadas na ilha.

Todavia, bem antes dos marinheiros, a Marambaia era utilizada como região de “engorda” no tráfico de escravos negros trazidos à força da África. Com o fim da escravidão, essas pessoas passaram a viver na Restinga, construindo uma nova vida, seus descendentes ainda estão lá, em quilombolas, realizando atividades como pescaria, artesanato entre outras.

Durante os anos 1970, quando começaram alguns treinamentos de fuzileiros navais na Restinga da Marambaia iniciou-se um conflito por terras entre os descendentes de escravos e os militares.

a “Ponte Velha” foi construída em 1943 e liga ao continente

“Essa situação não chegou a gerar grandes embates ou coisa do tipo e segue, mais ou menos, controlada, com quilombolas e militares usufruindo do espaço com certa harmonia. A torcida é para que tudo siga bem”, conta o pesquisador Mário Costa.

Dominada por uma extrema beleza natural, a Restinga da Marambaia encanta quem tem a oportunidade de conhecer.

6 COMENTÁRIOS

  1. Eu não acho certo quem é morador não poder entrar na restinga.
    Aí quem vem de fora,pode??
    Tem que abrir para moradores de campo grande Também.

  2. Na verdade, a Ilha da Marambaia é que pertence à Marinha. A restinga em si, é de propriedade do Exército, na porção mais próxima a Barra de Guaratiba, e à Força Aérea, na porção central da restinga.
    Na Ilha, há um centro de treinamento dos Fuzileiros. Na área do Exército há um campo de provas balístico para quaisquer armas, e a parte da Força Aérea é usada, mormente, como alvos para os caças e aeronaves de ataque.

  3. Meu pai militar frequentamos muito.lembro de uma igreja …acampava ,embaixo da ponte..lembro que só familias militares frequentava com permissão .será a ainda podemos frequentar..sendo filha de militar?
    Gostaria de rever minha infância por lá …era todos finais de semana.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui