Moqueca de pirarucu do Barsa
Moqueca de pirarucu do Barsa - Foto: Rodrigo Azevedo

Quem gosta de pirarucu? O maior peixe de água doce do mundo, originário da Amazônia, será a grande estrela do Festival Gosto da Amazônia, que acontece de 20/9 a 6/10 no CADEG. Originário da bacia Amazônica, o pirarucu pode chegar até três metros de comprimento e 200 kg.

A 1ª edição do Festival Gosto da Amazônia chega ao Rio para enriquecer a gastronomia da cidade, com a intenção de entrar para o tradicional calendário de eventos do CADEG. Para participar do Festival, cada restaurante criou um prato original à base do pirarucu de manejo, enquanto outros estabelecimentos trouxeram produtos sustentáveis direto da Amazônia, como café, castanha do Brasil, óleos e farinhas especiais, acessórios artesanais e o próprio pirarucu congelado, que estará à venda nos empórios do mercado.

O Projeto Gosto da Amazônia começou em março deste ano com 15 chefs do Rio de Janeiro, que testaram e aprovaram o pirarucu de manejo. Em seguida, oficinas foram realizadas no SindRio para cerca de 250 pessoas, e no mês de julho 9 chefs viajaram para as Terras Indígenas Paumari, a fim de conhecer de perto, no sul do Amazonas, o manejo e seus benefícios. Entre eles, Marcelo Barcellos, do restaurante Barsa, que no festival vai apresentar a “moqueca de pirarucu refogada no azeite com alho e hadock de congro negro, acompanhada de arroz de brócolis e farofa de farinha amarela d´água do Amazonas, com castanhas e frutas seca”.

Pirarucu com camarões nativos e pesto de coentro com toque de jambu, do Espetáculo Restaurante
Pirarucu com camarões nativos e pesto de coentro com toque de jambu, do Espetáculo Restaurante – Foto: Rodrigo Azevedo

Segundo Barcellos, o paladar delicado do pirarucu, abre um leque de possibilidades de preparo, além de funcionar como contraponto a um molho mais marcante. “Os fatores que mais se destacaram foram o sabor, sem nota de terra, muito comum em peixe de água doce, a aparência nobre, limpa, alta cor clara com as camadas marcantes”, elogiou o chef do Restaurante Barsa.

O Festival Gosto da Amazônia no Cadeg é a etapa final do projeto cujo objetivo é melhorar a qualidade de vida das comunidades envolvidas no manejo do pirarucu selvagem da Amazônia. O manejo, presente hoje em 34 áreas protegidas, é uma prática de uso sustentável que começou a ser implementado em 1999 e que garante a sobrevivência da espécie, soberania alimentar e renda aos indígenas e ribeirinhos e contribui para a conservação da Floresta.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui