Câmara de Vereadores aprova o tombamento do restaurante La Fiorentina, no Leme

Até pouco atrás, o restaurante estava cheio de dívidas. Com a pandemia teve que fechar as portas e quase foi a leilão

Tradicional restaurante do Leme é tombado, voltando às atividades sob nova direção / Internet

A proposta da vereadora Monica Benicio (PSOL) para o tombamento, por interesse histórico e cultural, do restaurante La Fiorentina, foi aprovado nesta quarta-feira (8), pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Localizado, no Leme, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o estabelecimento terá a sua fachada, paredes e colunas com mais de 3 mil assinaturas de personalidades brasileiras e estrangeiras preservadas. As informações são do jornal O Globo.

Um dos sócios do La Fiorentina, o produtor e empresário Caio Bucker, demonstrou grande felicidade e alívio com a medida, além de ressaltar a retomada da vida social, depois de todos os impedimentos gerados pela pandemia do Covid-19. Ele garantiu que o restaurante resguardará a tradição, sem, no entanto, deixar de dialogar com as tendências contemporâneas.

Até pouco atrás, a situação do tradicional restaurante era financeiramente periclitante. Cheio de dívidas, o estabelecimento fechou durante a pandemia, quase tendo ido a leilão. Apesar disso, a Prefeitura da cidade do Rio Janeiro o incluiu na relação de bens imateriais do município e no Cadastro dos Negócios Tradicionais e Notáveis.

Em agosto de 2021, o restaurante retomou as atividades, após uma forte mobilização de simpatizantes e frequentadores do local. Agora, sob nova direção, o La Fiorentina luta para retomar o brilho do passado.

Em nota, a vereadora Mônica Benício ressaltou a importância de preservar um estabelecimento histórico da cidade e muito querido pelos cidadãos cariocas.

“Fico feliz por contribuir com a preservação do patrimônio histórico-cultural do Rio de Janeiro. O La Fiorentina é um espaço de memória privilegiado, que orgulha a todas e todos nós cariocas.”

O La Fiorentina foi fundado, em 1957, e suas paredes contam com mais de 3 mil assinaturas e fotografias de celebridades, como Pelé, Zico, Nara Leão e Ricardo Boechat. O local também foi um importante centro de divulgação cultural, tendo realizado peças de teatro, shows e outros eventos sociais relevantes.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Quem tem amigos não morre pagão. E as quitandas de Ricardo de Albuquerque? Essas sim podem falir: a dor da gente não sai no jornal.

    Se o dono do restaurante aí estava tendo prejuízo, que aportasse capital novo! Se a vereadora psolista se importa tanto, que doasse seu salário para a manutenção do espaço!

    A sociedade está farta disso. Queremos menos tributos e obrigações!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui