Câmara Municipal de Cabo Frio avalia empreendimento polêmico na Ilha do Japonês

Miguel Alencar, presidente da Câmara, declarou que pretende realizar audiências públicas para discutir o assunto e mostrou predisposição a lutar pela preservação ambiental no local

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

O Presidente da Câmara Municipal de Cabo Frio, Miguel Alencar (UNIÃO), anunciou na quinta-feira passada (02/03), que vai solicitar informações sobre a construção de um resort na área onde localiza-se o estacionamento da Ilha do Japonês. A ideia é discutir o assunto com o parlamento e com a população, por meio de audiências públicas. A informação é do Portal RC 24h.

De acordo com Alencar, os debates sobre a construção no local começaram em 2008, entretanto, voltaram a ser debatidos com força em 2021, já sob a gestão do Prefeito José Bonifácio (PDT). E afirmou que se a população desejar preservar a área e impedir a construção do resort, ele irá apresentar um Projeto de Lei para criar um parque municipal no local, semelhante ao Parque Municipal Natural Anjo Caído, em Novo Portinho. Além dar entrada em um requerimento para pedir todos os estudos e avanços desse processo à Secretaria de Planejamento.

O projeto em questão abriu margem para muita polêmica e debates na cidade de Cabo Frio desde o momento em que o ativista ambiental Lucas Müller divulgou um vídeo mostrando que a empresa responsável pelo estacionamento da ilha ergueu um muro que tampou o Manguezal das Peroanas, aterrou outra área para secagem e queimou parte da vegetação nativa.

O ativismo ambiental tem ganhado força na região dos Lagos e a mobilização da sociedade será fundamental para garantir a proteção do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável. Contudo, a decisão sobre a construção do empreendimento na Ilha do Japonês será tomada com base em informações técnicas e na opinião da população.

Advertisement

Leia também

AquaRio promove primeira sessão para pessoas com Autismo

Lula retorna ao Rio para inauguração do Terminal Gentileza nesta sexta-feira

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Câmara Municipal de Cabo Frio avalia empreendimento polêmico na Ilha do Japonês

Advertisement

6 COMENTÁRIOS

  1. Depredar áreas ambientais é crime. Infelizmente em Cabo Frio isto se torna normal, os politicos nada faz para barra este tipo de Impacto Ambiental. O comercio com cobranças absurdas avançam com toda força. Uma cidade tão bonita e tão mal administrada. Caso precise pode contar com a minha ajuda! Gestor Ambiental e Perito Ambiental.

  2. Resorts geram muitos danos ambientais e muito impacto negativo para os moradores e toda a natureza da região. A cidade perde atratividade, pois troca áreas verdes, naturais e belas, por prédios que destroem o entorno, geram barulhos, esgotos e transito infernal. Toda a cidade perde. Quem ganha são os investidores, geralmente de fora, e políticos e funcionários corruptos. Enfim a socilocal perde muito. Caem na conversa mentirosa de que vai atrair coisas boas.
    Na prática muita coisa ruim e políticos corruptos com dinheiro no bolso.

  3. Tenho certeza que deve preservar , sou totalmente contra essa exploração imobiliária . O que nós precisamos é de um empreendimento de SAÚDE, decente e geração de empregos.

  4. Antes construir do que deixar na mão das pessoas que ali trabalham naquela ilha, tive o desprazer de visitá-la, ilha toda suja ….nós sentimos lesados pelos comerciantes que Ali trabalham ….péssimo atendimento…preços extremamente abusivos …sem contar na falta de educação dos funcionários…muitos as vezes com cara de intimidação perante aos consumidores….

    • Quando uma parte de Cabo Frio esta suja , pode ter certeza que essa sujeira tem a ver com aglomeração de turistas sem noção que acham que podem todo só porque nós dão o desprazer de aparecer na nossa cidade !! Aqui nem cachorros podem andar nas prais ou nos lugares turísticos , mas porcos de 2 pernas , sim !!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui