Carnaval do Rio teve ocupação de quase 100%, só perdendo para o Réveillon

Pesquisa do HotéisRIO mostra que a parceria entre empresários e Governo do Estado foi boa para a capital e para o interior

Desfile da Imperatriz Leopoldinense, campeã do Carnaval 2023 / Governo Estado

O relatório do Sindicato dos Meios de Hospedagem do Rio de Janeiro (HotéisRIO) com os resultados da ocupação de quartos durante o Carnaval, foi comemorado governador Cláudio Castro (PL). No levantamento, divulgado nesta quarta-feira (22/02), a rede hoteleira da cidade registrou a média de 96% das unidades reservadas, no período de 18 a 21 de fevereiro.

De acordo com o HotéisRIO, foi o segundo melhor resultado registrado em menos de dois meses. O Réveillon registrou o melhor resultado de ocupação, com 98% de reservas, na noite do dia 31 de dezembro de 2022 para o dia 1º de janeiro de 2023.

“Esses números refletem novamente o patamar pré-pandemia. São frutos de esforços do próprio setor e do nosso governo, que investiu muito na festa mais popular do planeta. O Carnaval é o principal evento do calendário fluminense, uma das molas propulsoras da cultura, do turismo, e da economia, pois recebe turistas de todo o mundo,” comentou o chefe do Executivo estadual.

Na Zona Sul da cidade, as regiões de Ipanema/Leblon, Flamengo/ Botafogo e Leme/ Copacabana foram as mais procuradas, com 98,17%, 96,25% e 95,27%, respectivamente. Barra da Tijuca/ São Conrado e o Centro do Rio, também registram ótimos resultados, com 95,17% e 94,70%, de taxa de ocupação, nesta ordem.

O secretário de estado de Turismo, Gustavo Tutuca, destacou que os investimentos em segurança pública e promoção do turismo na capital fluminense foram importantes para os resultados alcançados.

“O trabalho conjunto entre o Governo do Estado e as prefeituras foi um marco e contribuiu também para termos o Carnaval mais seguro da história. A ocupação hoteleira foi um sucesso e queremos repetir isso ao longo do ano. Realizamos ações de promoção do turismo no sambódromo, nos blocos de rua, nas redes sociais e em mídias diversas, com o objetivo de chamar a atenção do turista para os encantos do estado durante os outros meses do ano,” explicou o secretário.

O presidente do HotéisRIO, Alfredo Lopes, por sua vez, lembrou que o interior do Estado também alcançou bons patamares de ocupação.

“Com esse excelente resultado, a expectativa da hotelaria carioca se confirmou. O interior do estado também registrou ótimos números. Às vésperas do Carnaval, já estava com 92,65% dos quartos reservados,” ressaltou Alfredo Lopes.

O relatório do HoteisRIO também verificou um acréscimo de 35% de turistas estrangeiros no Réveillon 2022/2023, com destaque para norte-americanos e argentinos, seguidos de franceses e chilenos. No Carnaval de 2020, o percentual de turistas internacionais não ultrapassou 23%, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do estado (ABIH-RJ).

Entre os turistas nacionais, os provenientes de São Paulo e Minas Gerais foram maioria, em 2023. Os visitantes dos Estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal e Goiás também representaram presenças expressivas.

Para restabelecer as atividades turísticas fluminenses, o Governo do Estado investiu aproximadamente R$ 12 milhões, através do pacote Folia RJ 2023. O valor foi distribuído em quatro editais: Bloco nas Ruas RJ, Folias de Reis RJ, Turmas de Bate-Bolas RJ e Não Deixe o Samba Morrer RJ2. A estratégia governamental foi bem-sucedida, resultando em aproximadamente R$ 4 bilhões injetados na economia do Estado.

A pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), “Rio de Janeiro a Janeiro”, verificou que o Carnaval impacta, de forma direta e positiva, os setores de turismo, hospedagem, transporte, passeios, serviços, compras, alimentação e bebidas. Os festejos de Momo impactam ainda os setores imobiliário, de entretenimento, de logística, além da indústrias de insumos.

A titular da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (Sececrj), Danielle Barros, ressaltou que, através da Lei de Incentivo à Cultura, foi possível fazer uma distribuição organizada e estratégica dos recursos da pasta, “com o objetivo de atrair visitantes e gerar entretenimento e renda.”

A democratização da distribuição dos recursos beneficiou cidades como Cabo Frio, que teve 13 dos 24 blocos inseridos no Projeto Carnaval da Superação 2023, contemplados no edital, segundo o presidente Associação dos Blocos de Cabo Frio, Joir dos Reis.

Em Maricá, um dos representantes do Bloco da 90, Pedro Braga, destacou que há anos a agremiação pleiteava por ajuda financeira, que veio em 2023, com recursos que impactam no sustento das famílias da cidade, com atividades realizadas o ano inteiro nas quadras e barracões de Maricá.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui