Casa na Tijuca é palco de sexo explícito e consumo de drogas

Recentemente, a subprefeitura realizou uma ação conjunta com uma equipe do Segurança Presente para retirada de usuários de drogas do local

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Casa na Rua Andrade Neves é de propriedade particular e tomada / Reprodução: Site

Uma casa, localizada na Rua Andrade Neves, na Tijuca, tem tirado o sossego e causado assombro aos moradores da região.  No imóvel, que é de propriedade particular, acontece tráfico e consumo de drogas, furtos e sexo explícito, segundo informações do Portal Grande Tijuca.

O veículo conversou que residentes de um condomínio que fica próximo ao local, e o sentimento de revolta marcou os testemunhos das pessoas ouvidas.

Segundo uma moradora, que não quis se identificar, a síndica do prédio, que fica na Visconde de Cabo Frio, teve que elevar o muro de divisa da edificação, além de instalar concertina para que os moradores tivessem um pouco de sossego e privacidade. Mas a própria síndica acabou deixando o edifício. “A síndica, em 2018, tomou essas providências e se mudou, devido aos barulhos das brigas e cenas impróprias que faziam ao céu aberto”, disse a mulher.

Outra moradora, por sua vez, descreveu um pouco a dinâmica dos tormentos gerados na casa.

Advertisement

Leia também

10 coisas que só quem anda de ônibus no RJ vai entender

Polícia Militar planeja ampliar sistema de reconhecimento facial para 650 câmeras no RJ

“Eles fazem de tudo lá dentro: Desde consumo de drogas, sexo explícito, derretem fios de cobre roubados e comercializam no local. Nosso condomínio teve que colocar cerca concertina e alarme para detectar invasão no playground e na portaria”, disse a testemunha ao veículo.

O GT relatou que procurou a subprefeitura da Grande Tijuca, que teria comunicado, por meio de nota, que o imóvel é particular e a dona já compareceu à entidade para prestar esclarecimentos, entre os quais de que o espaço é tombado.

No comunicado foi relatado que a dona do imóvel teria pedido o destambamento da edificação, para que ela pudesse demoli-lo. Em reunião entre o subprefeito Felipe Quintans e a presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), Laura di Biasi, foi explicado que a responsabilidade do imóvel é da proprietária, que já teria sido notificada sobre os descalabros que ocorrem no interior da casa.

O Portal Grande Tijuca lembrou que, recentemente, a subprefeitura realizou uma ação conjunta com uma equipe do Segurança Presente para retirada de usuários de drogas do local.

As informações são Portal Grande Tijuca.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Casa na Tijuca é palco de sexo explícito e consumo de drogas

Advertisement

15 COMENTÁRIOS

  1. Enquanto não vandalizarem, descaracterizarem e por fim levarem ao chão todas as antigas e belas edificações da cidade a prefeitura não vai ficar satisfeita.

  2. Bem tombado.
    Agora a proprietária quer construir um prédio pra destruir ainda mais o pouco que resta de vida na Tijuca.
    Deixa tombado, expulsa os vagabundos e aluga o imóvel.

    O RJ vai virar uma SP daqui a pouco, lotada de prédios cinzas e ruas sem SOL.

    • Moro perto. O imóvel nao tem como alugar. Esta destruído sem muitas paredes e telhado. Tudo desabou o e resto vai desabar. Não há o que fazer . Só alguem milionário para refazer e não acredito que o dono possa. É esperar cair. Enquanto isso, sofremos com assaltos .

  3. A Escola Municipal CIEP Gregório Bezerra, no bairro da Penha (Largo da Penha), Rio de Janeiro/RJ, encontra-se na mesma situação.
    Abandonada pela Secretaria Municipal de Educação e 4* CRE, após ser completamente vandalizadas por moradores de rua tendo tido o seu mobiliário e instalações hidráulicas e elétricas furtadas, virou ponto de venda de drogas.
    Vários comunicados foram feitos ao 16* BPM sem efeito.
    Triste destino para a escola, e por fim, pela a nossa educação. O Prefeito e o SME deveriam ser punidos pelo descaso.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui