Caso Kayky Brito: Inquérito aponta que motorista estava dentro da velocidade permitida; ele não será indiciado

De acordo com o apurado pela Polícia Civil, o motorista Diones Coelho Silva estava dentro dos parâmetros legais de velocidade e não havia consumido álcool

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Kayky Brito - Foto: Reprodução

A investigação sobre o incidente envolvendo o ator Kayky Brito ocorrido em 2 de setembro na Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, foi concluída pela Polícia Civil. E conforme apurado, o motorista Diones Coelho Silva estava dirigindo a uma velocidade de 48 km/h, abaixo do limite permitido na via, que é de 70 km/h.

O delegado Ângelo Lages, responsável pelo caso, afirmou que o motorista não será acusado de nenhum crime, uma vez que ficou evidente que ele estava dentro dos parâmetros legais de velocidade e não havia consumido álcool. E além disso, conduzia o veículo de forma atenta e, após o acidente, imediatamente prestou assistência à vítima.

A polícia solicitou o arquivamento do caso e encaminhará o inquérito ao Ministério Público do Rio de Janeiro. O titular da 16° DP explicou: “A gente pediu o arquivamento do caso porque como o motorista não concorreu para esse atropelamento, ele não praticou qualquer tipo de crime, uma vez que, vinha dirigindo com atenção, dentro do limite de velocidade e sem ingestão de álcool. Ele socorreu a vitima, veio à delegacia. Então, ele está excluído de qualquer tipo de responsabilidade nesse evento.”

O ator sofreu lesões graves no corpo e um traumatismo craniano e continua hospitalizado no Hospital Copa D’Or, na Zona Sul do Rio. Ele atravessou a via fora da faixa de pedestres, que estava a alguns metros de distância do local do acidente. Na última semana, ele saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e está em processo de recuperação. E atualmente, encontra-se consciente e mantém diálogos com familiares.

Advertisement

Um laudo de perícia elaborado pelo Instituto Criminalística Carlos Éboli (ICCE) confirmou que o motorista estava a menos de 10 metros e a apenas 0,73 segundos de distância do ator quando este iniciou a travessia na pista, correndo e emergindo de trás de outro veículo. Os peritos afirmaram que não havia tempo hábil para reagir e evitar uma possível colisão, visto que a distância inicial entre o motorista e o pedestre deveria ser superior a 26 metros, ou seja, mais que o dobro da distância real.

Bruno De Luca:

O ator Bruno de Luca, que foi testemunha do atropelamento, não foi indiciado por omissão de socorro. Em seu depoimento, ele afirmou que deixou o local sem reconhecer imediatamente a vítima como seu amigo Kayky Brito. Os dois estavam juntos em um quiosque pouco antes do incidente. Bruno contou que só soube do ocorrido com ator por volta das 9h da manhã do dia seguinte, quando estava a caminho de um festival de música em São Paulo.

O delegado enfatizou que Bruno De Luca não tinha obrigações legais de prestar socorro à Kayky Brito, declarando: “O fato é que não aconteceu o crime de omissão de socorro por parte dele porque o dever legal de prestar socorro seria do motorista. Além disso, haviam outras pessoas naquela cena, a passageira, os funcionários do quiosque e a partir do momento que uma pessoa solicita o apoio, como foi o caso do Diones, as demais pessoas não respondem por nada.”

O Motorista Comemora a Inocência:

Em uma postagem feita no Instagram, o motorista Diones Coelho Silva expressou sua certeza quanto à sua inocência. Ele compartilhou: “Passando aqui para celebrar a vitória que Deus me deu hoje pela manhã, acordei com a notícia do encerramento do inquérito, o qual eu já tinha convicção da minha inocência, mas Deus fez isso se tornar público para todo mundo ver. Sem Deus a gente não é nada, estou muito grato a Deus e a vocês por todo carinho, mensagens e apoio que tenho recebido. Gratidão a todos e que agora essa pagina será virada.”

O motorista compartilhou, há semanas atrás, que tem enfrentado episódios de ansiedade desde o acidente e procurou ajuda de um profissional de psicologia. Em suas palavras: “Tenho tido crise de ansiedade, noites mal dormidas, medo de dirigir. Tenho buscado ajuda com psicólogo, e fui orientado a ter um pouco de contato com a natureza, pois gosto muito e ajuda a organizar a mente” afirmou em um vídeo compartilhado na última segunda-feira (25/09).

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Caso Kayky Brito: Inquérito aponta que motorista estava dentro da velocidade permitida; ele não será indiciado
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui