Casquinha de Cavaquinha é quitute mais querido do restaurante mais antigo da cidade

Com quitutes como a casquinha de cavaquinha e o bolinho de bacalhau mais tradicional da cidade, o restaurante de 1884 tem reunido legiões de amantes da culinária lusitana num Centro que luta para renascer

Parar pra almoçar no restaurante mais antigo da cidade, bem no coração do Boulevard Olímpico, é uma experiência quase religiosa. Sua fachada em azulejos portugueses, com três andares de pé direito altíssimo e janelões de beleza colonial denuncia a tradição que só uma Casa que sobreviveu ao golpe militar que derrubou a monarquia brasileira, em 1889, pode ter. Nascido como Hotel Rio Minho, 5 anos antes da queda de Dom Pedro II, o restaurante que hoje carrega o nome do rio que serve de fronteira entre Portugal e Espanha é um ícone da gastronomia carioca.

Parte do Polo Gastronômico da Praça XV, colado no tradicionalíssimo Al-Khayam, de culinária árabe, junto ao badalado Bar Capitu e vizinho dos belíssimos Cais do Oriente e Sobrado da Cidade, o Rio Minho é comandado desde 1982 pelo Chef e Proprietário Ramon Isaac, assistido de perto pela filha Cristina. E se, como os vizinhos, cortaram um dobrado para sobreviver durante a pandemia do novo coronavírus, agora começam a assistir o renascimento da região, que já foi uma das prósperas do Centro.

O restaurante acabou vendo aposentar-se os garçons velhinhos pelo qual era muito conhecido, durante a pandemia. Mas já tem uma equipe coesa novamente, e o serviço atingiu os padrões de antes: eles já sabem o que vamos pedir pra beber, quando passamos a freqüentar a casa, e o ponto exato do nosso peixe. O projeto Reviver Centro e o retorno gradual das empresas ao trabalho presencial vêm ajudando o estabelecimento a retornar aos dias de glória em que famosos como o Barão do Rio Branco e o filólogo Antônio Houaiss se enfileiravam para adentrar seu salão forrado em azulejaria do século XIX.

E é com pratos tradicionais como a saborosa e fervente casquinha de cavaquinha que seu Ramon tem voltado a encher a Casa, que vem ficando lotada na hora do almoço, apesar da chuva infernal que sacrificou o comércio do Centro em mais de 20 dias deste último mês de novembro. O quitute tem a combinação perfeita de creme, queijo e uma cavaquinha fresca desfiada como que pelas mãos hábeis de uma fada. Gratinada à perfeição, a entradinha quase – só quase – faz a gente dispensar a porção de bolinhos de bacalhau mais apetitosa do Rio.

Foto: Reprodução Instagram oficial

Ok, nem tudo são flores e a cavaquinha fresca está dentre os frutos do mar mais delicados e caros; cada um dos quitutes sai a R$ 48,00, mas o sabor e a textura compensam cada garfada. Uma ida ao Rio Minho é uma viagem no tempo, ao Rio Capital Imperial, coisa para se fazer com tempo, bem acompanhado, e em momentos de alegria. Mas, mesmo se estiver meio chateado, peça a casquinha, uns bolinhos de bacalhau ou um cherne grelhado que a coisa melhora. Ô se melhora!

O Restaurante Rio Minho fica na Rua do Ouvidor, 10 e abre para o almoço de Segunda a Sexta, até as 17:00. Aceita reservas e enche bastante entre 12:30 e 14:30. – Obs: Guarde a fome pra amanhã, hoje, segunda, dia de jogo do Brasil na Copa 2022, a casa não abre.

Advertisement

3 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui