Cauã Baptista: A última dança

Colunista do DIÁRIO DO RIO fala sobre elenco da temporada de 2019 do Flamengo

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação Flamengo

A temporada de 2019 que colocou novos ídolos na parede da Gávea e no coração dos flamenguistas, em 13 meses foram 57 jogos, 5 títulos e apenas 4 derrotas da equipe comandada por Jorge Jesus que marcou uma geração e mudou o futebol brasileiro. Após sua passagem muitas de suas filosofias de jogo foram adotadas como se a fórmula de sucesso pudesse ser replicada a qualquer elenco e até mesmo a crença da diretoria de alguns clubes que ter um treinador estrangeiro (em especial português) era a única maneira de vencer uma partida de futebol.

Desse elenco restam ainda sete remanescentes entre eles Gerson que foi vendido e retornou nos braços do povo, a unanimidade Arrascaeta, o capitão Everton Ribeiro, o ídolo Gabigol, o Rei da América Bruno Henrique, o líder Rodrigo Caio e o multicampeão Filipe Luís. Estes atletas vivem situações bem diferentes após a era gloriosa mesmo tendo sido campeões outras vezes como o Campeonato Brasileiro de 2020, a Supercopa do Brasil em 2021, a Copa do Brasil e mais uma libertadores em 2022.

O lateral Filipe Luís já anunciou a sua aposentadoria após o fim da temporada de 2023 dizendo não conseguir jogar a nível competitivo para a equipe titular do rubro-negro e se não fosse no Flamengo, não gostaria de jogar em lugar nenhum. O atleta possui a licença B de treinador da CBF e estuda para conseguir a licença A, requerida para assumir clubes da seria A do campeonato brasileiro. A diretoria pretende mantê-lo em uma função dentro da comissão técnica após o final de seu contrato.

Rodrigo Caio teve uma carreira marcada por lesões que não o permitiram alcançar o potencial de seu futebol, muito querido dentro do elenco e da torcida, o zagueiro de 30 anos é exemplo de superação após diversas cirurgias e retorno aos gramados sempre mostrando dedicação e entrega. Seu contrato acaba em 2023 e não deverá ser renovado.

Advertisement

Rei da América de 2019, Bruno Henrique é outro atleta que sofreu com lesões recentemente e superou as expectativas quando retornou aos gramados em grande forma. Sua renovação de contrato apesar de muitas discussões sobre o tempo de contrato está bem encaminhada, faltando a assinatura do presidente do clube, e deve ser mantido no clube por contrato pelo menos até 2027.

O ídolo Gabigol é uma das peças de 2019 que mais dividem a torcida rubro-negra, decisivo nas finais da libertadores o atacante de 27 anos e ainda mais um ano restante de contrato, pede aumento salarial para renovar por mais 4 anos com o Flamengo. Muitos torcedores acham que seu tempo de glória já passou e que não se dedica a vida de atleta e perde o foco com a vida noturna, para outros é ídolo somente abaixo de Zico e serão eternamente gratos e a imagem de Gabriel Barbosa.

O capitão Everton Ribeiro é outro exemplo de que se não morrer cedo para virar herói, acaba vivendo o bastante para se tornar vilão. Muito questionado por números recentes, o meia de 34 anos deve renovar por mais um ano a pedido do técnico Tite, contrariando boa parte dos torcedores que não o vê como peça a nível de atuar em um dos melhores elencos da américa.

Os meias Gerson e Arrascaeta ainda desfrutam de um bom nível de atuação mesmo com altos e baixos e seguem com prestígio da diretoria e torcedores rubro-negros.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Cauã Baptista: A última dança
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui