Ceciliano defende legado de Lula em evento com evangélicos: “quando o justo governa, o povo se alegra”

Católico, o candidato ao senado pela Federação Brasil da Esperança (PT/PCdoB/PV) também fez a leitura de um salmo da Bíblia

Foto: Anderson Coutinho

Em um evento com milhares de religiosos em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, nesta sexta-feira (09), André Ceciliano defendeu o legado de Lula para os mais pobres. Católico, o candidato ao senado pela Federação Brasil da Esperança (PT/PCdoB/PV) também fez a leitura de um salmo da Bíblia.

Quando o justo governa, o povo se alegra. No governo do senhor, presidente Lula, tinha emprego, o povo tinha comida na mesa, tinha alegria e tinha esperança, tinha educação, tinha saúde, tinha oportunidade”.

André também fez críticas ao presidente Bolsonaro, sem citá-lo nominalmente. “Quando o ímpio governa, o povo sofre. O que nós temos hoje é o desemprego, o que nós temos hoje é a fome, o que nós temos hoje é o ódio“.

Durante o encontro, Ceciliano o salmo da Bíblia que tem o mesmo número da sua candidatura, 133:

Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.
É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes.
Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre.

Salmos 133:1-3

Lula desmente fake news

O encontro foi organizado pelo Partido dos Trabalhadores para aproximar o ex-presidente Lula do grupo evangélico, cujo apoio ao presidente Bolsonaro cresce cada vez mais nas pesquisas eleitorais. De acordo com a pesquisa Genial/Quaest lançada em 7 de setembro, Bolsonaro tem 53% desse eleitorado no primeiro turno, contra 26% de Lula.

No encontro, foi lida uma carta da Frente de Evangélicos Pelo Estado de Direito a Lula. Lula aproveitou o encontro para desmentir fake news que alegam que, se eleito, ele iria fechar as igrejas – a mesma mentira contada em campanhas anteriores.

Ninguém deve usar o nome de Deus em vão. Já fui cinco vezes candidato e nunca fui em uma igreja usar a religião pra pegar voto. Sei a quantidade de mentiras que contam a meu respeito. Posso olhar na cara de cada mulher, de cada senhora, de cada jovem, e dizer que nunca houve na história desse país um presidente que tratasse religião com tanta democracia como eu. Aprendi que o Estado não deve ter religião, ou igreja, mas deve garantir o funcionamento e a liberdade das igrejas, assim fizemos a Lei da Liberdade Religiosa em 2003“, destacou o ex-presidente que, ao fim de sua fala, volta a usar tom religioso:

Nestas eleições, Lula também reeditou um material lançado em 2002 para o grupo dos evangélicos. O panfleto que, à época, foi chamada de “Carta aos Evangélicos” ganhou uma nova roupagem e foi renomeada como “É tempo de esperança, o Brasil tem jeito – o que os evangélicos realmente querem para o Brasil”.

O texto usa versículos bíblicos como acompanhamento às propostas econômicas e sociais do candidato, dentre elas o controle da inflação, a ampliação da proteção previdenciária e a criação de postos de empregos.

Não teria chegado onde cheguei se não fosse a mão de Deus dirigindo meus passos. Lá de cima, ele está dizendo “Lula, cuida desse povo, que não quer discurso, mas ação”. E é esse país que vamos criar. Queridos companheiros e companheiras, que Deus nos abençoe!” disse durante o encontro.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Esse de Paracambi que pousou na Alerj, é um fanfarrão metido a petista, doleiro, e já encrencado com a justiça por conta de rachadinha. Quer boquinha do senado.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui