Censo identifica quase 8 mil mendigos no Rio em 2022; número é 8,5% maior em relação a 2020

Pesquisa da Prefeitura foi realizada entre os dias 21 e 25 de novembro de 2022, percorrendo mais de 1.800 roteiros de rua na cidade

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Mendigo no Rio de Janeiro - Foto: Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

Um censo divulgado recentemente pela Prefeitura do Rio de Janeiro constatou que, em 2022, havia 7.865 pessoas em situação de rua na cidade. Isso representa um aumento de 8,5% em comparação com 2020, quando a mesma pesquisa identificou 7.272 mendigos na capital fluminense.

Vale ressaltar que, em relação ao ano passado, aproximadamente 80% da referida população era composta por moradores de rua, enquanto os 20% restantes encontravam-se em instituições. Entre todos os entrevistados, 17,4% possuem residência fixa e 55% ainda mantêm contato com a família.

Quanto ao perfil, 82% são homens, 84% se autodeclaram pretos ou pardos, 11% não sabem ler e/ou escrever e 64% têm ensino fundamental incompleto. A idade média do público-alvo é de 31 anos.

Entre as atividades realizadas de maneira mais comum para obtenção de renda, 57,7% catavam materiais recicláveis ou lixo e 20,7% atuavam como vendedores ambulantes.

Advertisement

Leia também

MP é acionado para investigar manifestantes que declaram apoio ao Hamas na frente da Câmara do Rio

Deputados propõem destinar R$15 milhões da Alerj para 10 municípios afetados por chuvas no RJ

Ainda de acordo com a pesquisa, 43% dos mendigos afirmaram estar vivendo nas ruas devido a conflitos familiares, 22% por alcoolismo e/ou uso de drogas e 13% por desemprego ou perda de renda.

O censo, realizado pelas secretarias municipais de Assistência Social e de Saúde em parceria com o Instituto Pereira Passos, aconteceu entre os dias 21 e 25 de novembro de 2022, percorrendo mais de 1.800 roteiros de rua e 57 cenas de uso de drogas no Rio.

”O Censo da População de Rua é o motor para que a Secretaria de Assistência Social possa aprimorar políticas públicas e trabalhar diretamente na redução de pessoas em vulnerabilidades. É importante pensar também que esta situação é fruto de um desequilíbrio social”, destaca o secretário Adilson Pires.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Censo identifica quase 8 mil mendigos no Rio em 2022; número é 8,5% maior em relação a 2020

Advertisement

3 COMENTÁRIOS

  1. O aumento não foi significativo do último pro de agora. Se não fizeram políticas eficazes para aquela situação, por que fariam pra de agora? Se só cerca de 20 por cento encontram-se abrigados, e grande parte sabe ler e escrever e não está nessa situação por usarem drogas, então não estão querendo ajudar.

  2. A solução é internação e tratamento forçado, e prender por crime de vadiagem. É de fora? Fora, vá para o lugar de onde nunca deveria ter saído.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui