Central 190 da PM registrou 57 mil chamadas de violência contra a mulher, em 2023

Foi o segundo tipo de crime com o maior número de chamadas. O Governo do Estado verificou que as mulheres estão mais confiantes nos serviços prestados pela Secretaria da Mulher

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Patrulha Maria da Penha - Guardiões da Vida. Foto: Philippe Lima

u Em 2023, os casos de violência contra a mulher somaram 57 mil ligações na Central 190 da Secretaria de Estado de Polícia Militar. Foi o segundo tipo de crime com o maior número de chamadas. A primeira colocação ficou com os episódios de perturbação do sossego, com 98 mil acionamentos. Segundo a Coordenadoria de Sistema de Emergências da corporação, a Central 190 recebeu, no ano passado, mais de um milhão e quinhentas e oitenta e três mil ligações de emergência.

Os municípios de Belford Roxo, Duque de Caxias e Nova Iguaçu, localizados na Baixada Fluminense, além das cidades Rio de Janeiro e de São Gonçalo, na Região Metropolitana, foram as campeãs de acionamentos junto à Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ).

A secretária de Estado da Mulher, Heloisa Aguiar, afirmou que a confiança das mulheres no atendimento do Governo do Estado fez que com que o número de denúncias aumentasse de forma considerável. A existência e o conhecimento dos equipamentos de amparo às mulheres também representou um fator de incentivo à realização das denúncias, segundo a secretária.

“As mulheres estão denunciando e sabem que terão proteção do Estado por meio de uma rede potente e que olha para elas de forma integral. Temos o 190, a Patrulha Maria da Penha, as Delegacias Especializadas das Mulheres, os Centros Especializados de Atendimento à Mulher e a Casa Abrigo Lar da Mulher, um local sigiloso que acolhe mulheres em risco de vida, ajudando-as a se reerguerem e retomarem suas vidas. Toda mulher tem o direito de viver em paz, e o Governo do Estado está trabalhando para garantir isso”, comentou Heloisa Aguiar.

Advertisement

O aplicativo Rede Mulher, somado ao patrulhamento regular, tem ajudado a polícia a coibir inúmeros casos de agressão e assassinatos de mulheres. O coronel Luiz Henrique Marinho Pires ressaltou que, cada chamado atendido é verificado com muita atenção e cuidado, para não gerar constrangimentos ou situações de risco para as vítimas.

“Diariamente recebemos inúmeras ligações via 190 em nosso estado, e cada uma delas é verificada com muito cuidado e atenção. Salvamos vidas todos os dias graças ao número de emergência da Polícia Militar. Ele é de extrema importância no que tange a situações de emergência. É fundamental que a população confie no serviço 190RJ e no aplicativo 190, que está disponível em três línguas”, afirmou o coronel.

No Rede Mulher, que funciona em parceria com a Secretaria de Estado da Mulher, a usuária pode cadastrar uma solicitação de medida protetiva, fazer uma ligação direta com o número 190 da PM, registro de ocorrência on-line (RO), além de ter informações sobre toda a rede de proteção estadual. O aplicativo ainda conta com a funcionalidade Guardiões – cadastro de três contatos que possam socorrer a vítima em caso de emergência.

Em 2023, casos de acidentes de trânsito com vítima, averiguação de pessoa/veículo em atitude suspeita, agressão, lesão corporal e disparo de alarme foram ocorrências comuns registradas na Coordenadoria de Sistema de Emergências da Corporação.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Central 190 da PM registrou 57 mil chamadas de violência contra a mulher, em 2023
Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui