Central do Brasil ganha Centro de Atendimento para moradores de rua

A comissão planeja expandir a iniciativa para Niterói e Baixada Fluminense até o final do ano

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

A população em situação de rua do Rio ganhará um espaço dedicado exclusivamente ao atendimento de suas necessidades legais e à expedição de documentos de forma permanente. O Centro de Atendimento Integrado às Pessoas em Situação de Rua, localizado na Rua Senador Pompeu, s/nº, no Centro, ao lado da Central do Brasil, começará suas operações já na primeira semana de abril.

Nesta segunda-feira (01/04), às 17h, ocorrerá a cerimônia de assinatura do Termo de Cooperação Técnica para a instalação do Comitê Interinstitucional de Atenção às Pessoas em Situação de Rua do Estado do Rio de Janeiro, no Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ). O presidente do TJRJ, desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo, será o responsável pela assinatura do termo, na presença de diversas autoridades envolvidas no processo de cooperação técnica para o funcionamento da unidade.

O projeto, pioneiro no país, reunirá em um único local diversos serviços prestados por órgãos federais, estaduais e municipais, com atendimento de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h. O objetivo é resolver eficazmente uma série de desafios enfrentados pela população de rua, possibilitando sua reintegração social de forma autônoma e sustentável, e garantindo o pleno exercício da cidadania.

O espaço, com 300m², está localizado na área da Central do Brasil, proporcionando um atendimento prioritário, desburocratizado e humanizado. Contará com uma equipe especializada e multidisciplinar, capacitada para garantir os direitos humanos das pessoas em situação de rua. Diversos órgãos estarão presentes no local, incluindo tribunais, ministérios, governo estadual e municipal, além de entidades como a OAB e a Fundação Leão XIII.

Advertisement

A coordenação do projeto está a cargo dos desembargadores Renata Cotta, Renata Fadel e Vitor Marcelo Rodrigues, da Comissão de Articulação de Programas Sociais do TJRJ. A escolha da Central do Brasil como sede do centro se deve ao fato de ser a área com maior concentração de pessoas em situação de rua, conforme o censo de 2022, com cerca de 8 mil pessoas apenas na cidade do Rio de Janeiro. O imóvel foi disponibilizado pelo Governo do Estado.

A comissão planeja expandir a iniciativa para Niterói e Baixada Fluminense até o final do ano, garantindo assim o acesso à Justiça em um ambiente acolhedor e favorável em diferentes regiões metropolitanas do estado.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Central do Brasil ganha Centro de Atendimento para moradores de rua
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui