Centro Cultural Banco do Brasil recebe exposição fotográfica com obras de Evandro Teixeira

A mostra fotográfica de um dos nomes mais importantes do fotojornalismo brasileiro reúne mais de 160 registros em preto e branco, com destaque para a cobertura do golpe militar chileno em 1973

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Evandro Teixeira/Acervo IMS

No dia 30 de agosto, o Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro inaugura a exposição intitulada “Evandro Teixeira, Chile, 1973” que reúne aproximadamente 160 fotografias de um dos mais proeminentes nomes do fotojornalismo brasileiro, Evandro Teixeira. Ele nasceu na Bahia e foi radicado no Rio de Janeiro. E possui um percurso profissional de quase seis décadas na imprensa carioca, incluindo 47 anos dedicados ao Jornal do Brasil.

Sob a curadoria de Sergio Burgi, coordenador de fotografia do Instituto Moreira Salles, a mostra chega ao CCBB-RJ após um bem-sucedido ciclo no IMS Paulista, fortalecendo a colaboração entre as duas instituições desde 2022. É importante mencionar que a sede carioca do IMS encontra-se temporariamente fechada para reformas e a realização desta exposição na cidade conta com o patrocínio do Banco do Brasil.

A exposição congrega um conjunto significativo de fotografias em preto e branco, com notável destaque para a cobertura internacional sobre o golpe militar que ocorreu no Chile em 1973. Em sua estada no país andino, o fotojornalista produziu imagens de grande impacto, como o Palácio de La Moneda que foi alvo de bombardeio militar, os prisioneiros políticos abrigados no Estádio Nacional em Santiago e o funeral do poeta Pablo Neruda. Um aspecto singular é que Evandro Teixeira é o único fotojornalista no mundo a capturar imagens de Neruda logo após sua morte.

Para além das composições relacionadas ao Chile, a exposição engloba fotografias capturadas durante o período de ditadura civil-militar no Brasil, estabelecendo um diálogo entre os contextos históricos dos dois países. E também são apresentados trechos de filmes documentários da época, como “Setembro Chileno”, dirigido por Bruno Moet, e “Brasil, Relato De Uma Tortura”, de Haskell Wexler e Saul Landau. Adicionalmente, a mostra oferece uma seleção de livros, fac-símiles e outros artefatos, incluindo câmeras fotográficas e credenciais de imprensa.

Advertisement

Leia também

Águas do Rio alega não saber sobre situação da Cedae mas presidente foi diretor da empresa – Bastidores do Rio

Antiga garagem da Silveira Martins é vendida por R$19,7 milhões a incorporadora

Sobre o Artista

Evandro Teixeira, nascido na Bahia no ano de 1935, partiu de Irajuba em busca de capturar a essência do Brasil através de sua lente. Com quase sete décadas de dedicação à sua arte, sendo 47 delas ao serviço do Jornal do Brasil, ele eternizou momentos significativos da história do país. Suas imagens marcaram para sempre figuras icônicas como Pelé e Ayrton Senna, enquanto também se debruçou sobre a representação da fome, da pobreza, das celebrações carnavalescas e das festas populares. Do campo da política ao esporte, da moda ao comportamento, Evandro não deixou escapar nada de seu olhar atento. Além disso, ele é o criador de uma coleção autoral significativa, com destaque para seu projeto centrado em Canudos.

Serviço: Evandro Teixeira, Chile, 1973

  • Abertura: 30 de agosto de 2023, às 9h
  • Exposição: até 13 de novembro de 2023
  • Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro
  • Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
  • Rio de Janeiro – RJ
  • Informações: (21) 3808.2020 | ccbbrio@bb.com.br
  • Funcionamento: De quarta a domingo, das 9h às 20h. E fechado às terças-feiras.
  • Classificação Indicativa: 14 anos
  • Entrada Franca, com ingressos disponíveis na bilheteria física ou pelo site do CCBB – bb.com.br/cultura.
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Centro Cultural Banco do Brasil recebe exposição fotográfica com obras de Evandro Teixeira

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui