O Gabinete de Crise se reuniu na Prefeitura, no Gabinete do Prefeito Eduardo Paes. / Foto: Divulgação

O prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM) está apostando mesmo na revitalização do Centro do Rio, que sofreu de um abandono sem par durante a gestão de Marcelo Crivella (Republicanos) e com o efeito das restrições causadas pela pandemia de Covid-19. Muitos escritórios vacantes por conta do trabalho em home office e a possibilidade aventada por alguns especialistas de que haja uma tendência de serem mantidos postos em tele-trabalho de forma definitiva, são fatores que têm feito com que seja preciso repensar e ressignificar a região central.

É bem verdade que o Centro é o coração cultural da cidade e ainda reúne cerca de 60% dos empregos de carteira assinada da cidade, segundo dados revelados pelo Secretário de Planejamento Urbano Washington Fajardo, grande “pai” da idéia de revitalizar o Centro do Rio. Fajardo conseguiu em suas palestras e lives demonstrar claramente que o Centro do Rio, com sua proximidade ímpar a um aeroporto que se conecta às principais cidades brasileiras, é uma das regiões mais bem conectadas a modais de transporte no mundo Dados da SMPU provam que no Centro da Cidade, onde quer que você esteja, você está a 5 minutos de algum tipo de meio de transporte de massa.

Parece óbvio que revitalizar o Centro é um trabalho que durará anos. Mas tem aquela velha história de começar toda caminhada pelo primeiro passo. O projeto Reviver Centro, capitaneado pelo secretário Fajardo, tem tudo para render grandes frutos. É verdade que a mera reconversão de imóveis comerciais em residenciais depende menos da Prefeitura do que dos Condomínios, geralmente com muitos proprietários que dificilmente concordam entre si com mudanças relevantes. Mas o projeto traz muito mais do que isto, e sua principal característica é a reocupação do espaço urbano pelo poder público: a conservação, a manutenção, a limpeza e a ordem pública são muito mais do que “meio caminho andado”. A sensação de segurança é tudo.

Mas é necessário começar isso logo, e Paes já deu os primeiros sinais na reunião realizada na terça-feira, 13/4, do Gabinete de Crise do Centro, uma espécie de “órgão” formado via decreto, composto por agentes da Prefeitura, associações de moradores e empresários e investidores de grande relevo na região Central. E nesta reunião em que foram discutidas diversas ações, surgiu com força um projeto piloto de Tolerância Zero a ser aplicado inicialmente num quadrante da Avenida Rio Branco, entre a Cinelândia e o tradicional Edifício Avenida Central. As reuniões do Gabinete de Crise do Centro são realizadas quinzenalmente no próprio Gabinete do Prefeito.

A área inicialmente escolhida deve ficar “um brinco”, nas palavras do próprio prefeito. Terá cuidados especiais de Jardinagem, Conservação, Limpeza e, sim, Ordem Pública. Está prevista para o dia 26 a publicação de um decreto do alcaide, proibindo totalmente a presença de vendedores ambulantes na região. Segundo a Prefeitura, apenas três (isso, zero três) ambulantes teriam licença para atuar na Avenida Rio Branco. E a idéia é que, aos poucos, a avenida seja completamente limpa de mascates e camelôs, começando por este quadrante inicial de Tolerância Zero.

O prefeito pediu ao Secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale, que busque a cooperação da Operação Centro Presente, do Estado do Rio de Janeiro, para que as forças estaduais trabalhem em conjunto com as municipais no trabalho de criação de um ambiente mais seguro na região central.

Um dos maiores problemas da cidade para o carioca é justamente a falta de controle urbano e a quantidade de ambulantes, conforme uma pesquisa feita pelo Instituto Rio 21 que mostra de forma clara que 61,8% dos habitantes da cidade acham o número atual de camelôs prejudiciais ao Rio. Ou seja, se houver grita, está comprovado que não vai passar de uma minoria barulhenta. Quase todos reconhecem que é indesejável a quantidade de camelôs que – por exemplo – transforma a frente do Edifício Avenida Central numa espécie de Bombaim especializada na venda de mercadoria falsificada e, sim, criminosa.

Isso sem contar o número de moradores de rua, que mantém seus colchonetes, colchões de casal king size, tendas e barracas o dia todo embaixo de marquises de prédios da região. O prefeito garantiu que, ainda que seja legal a permanência de qualquer pessoa nas ruas, não serão permitidas barracas, colchões, sexo ao ar livre ou necessidades fisiológicas sendo atendidas na presença de todos. Inicialmente, neste quadrante de Tolerância Zero.

Além disso, no decreto que deve ser publicado no dia 26/4, também deverá transformar a região, com iluminação nova de Leds. A ação terá participação, além da secretaria de Ordem Pública, da Comlurb, Rio Luz, Guarda Municipal, Secretaria de Conservação e Secretaria de Assistência Social.

Sem dúvida o Centro do Rio precisa disso, e não só neste trecho. O número de ambulantes está impraticável, afastando os comerciantes que não querem a competição direta da parte de quem sequer recolhe impostos, assim como é preciso reconhecer que a quantidade de camelôs, vendedores e moradores de rua causa sensação de insegurança e afasta investidores e pessoas que poderiam trazer seus negócios e empresas para o Centro do Rio.

O Gabinete de Crise teve a participação, além das autoridades municipais, de representantes do Pólo Novo Rio Antigo, da Associação de Moradores Ama Cruz Vermelha, pelos síndicos dos emblemáticos edifícios Avenida Central e Linneo de Paula Machado, e por representantes das empresas investidoras Multicentros, Sergio Castro Imóveis e Opportunity, proprietárias e administradoras de imóveis na região. As empresas investidoras anunciaram que contrataram, por sua conta, o trabalho do Instituto Rio 21 para mapear os problemas de zeladoria da região central e relatar, quinzenalmente, os problemas e as ações realizadas pela prefeitura, ofertando os resultados deste mapeamento quinzenal à municipalidade.

36 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns para o prefeito e sua cúpula que em meio uma pandemia, onde centenas de pais e mães de família perderem seus empregos e encontram um meio de se sustentar sua família através das ruas. Na chuva torrencial, no sol escaldante, trabalham pessoas onde em meio a crise, estão trabalhando, não porque querem e, sim porque não há outra alternativa.
    O que irá fazer com todas essas pessoas que ficarão sem seu trabalho?
    Por que não pega a verba que irá trocar para LEDs, e investe na saúde que precisa muito mais do uma rua “bonitinha” com luz especial? Há necessidade de trocar lâmpadas com a saúde do jeito que está?
    O que irá fazer com todos esses trabalhadores, que das ruas, tira seus sustento?
    Quer pintar a casa por fora, para que os vizinhos vejam o quão linda ela é. Mas por dentro não nem chão onde se pisar.

  2. Então, lembrar com justiça o Centro do Rio: quando Eduardo Paes terminou seu mandato na administração passada, o Centro do Rio de Janeiro estava caminhando bem, havia limpeza, camelôs organizados, lixeiras nos lugares, bancos sem ocupação com moradores de rua, multavam quem sujasse as ruas. Havia ainda muita coisa à fazer, com certeza. Mas o Centro do Rio e região portuária estava na minha visão no caminho certo, e começando a ser valorizado, muita gente com certeza pensou em morar na região. O turismo estava acontecendo, e muitas famílias estavam frequentando os locais. Lojas, food trucks, cafeterias se instalaram — hoje, muitas fecharam, desapareceram.
    Enfim, o Centro do Rio até região portuária, a Lapa (limpeza, plantio de árvores, ver o pessoal de rua, camelôs) , é urgente, a devolução de uma cara da verdadeira cidade para então, a revitalização. O Rio de Janeiro merece isso.

  3. Pra esse prefeito o RJ começa na Barra e termina no centro, em uma linha. Não existe zona norte e oeste “pobre”. Quero ver fazer esse choque em Campo Grande onde a gente nem consegue mais andar de tanto camelô que SÃO DE MILICIANOS.

  4. Bem coxinha o autor desse artigo. Deve passar com sua BMW blindada para seu escritório e ficar indignado com a paisagem de pobreza. Acorda editor, vc mora em uma cidade na qual 70% da população vive sob domínio do poder paralelo, vc editor, é minoria. Quer uma cidade bonita? Pense no social. Educação e reinserção da população segregada desde sempre, na qual tem que ser um herói para conseguir sair dessa condição que lhe foi imposta desde que saiu do ventre da mãe.

  5. Excelentíssimo Prefeito Eduardo Paes, pelo amor de Deus, cuide do povo do Caju que votou em peso no senhor.
    Nosso bairro está abandonado, desde o começo da sua primeira gestão.
    Até Cesar Maia e Luis Paulo Conde, que Deus o tenha, fizeram mais pelo meu bairro que o senhor.
    Esperamos algo bom em prol da nossa população.

  6. Acho digno pois ali na Central do Brasil e nas calçadas ao redor do Campo de Santana, as barracas ocuparam um espaço tão grande que ainda não sei como fecharam a Avenida Presidente Vargas para fazer um mercado e feira ao ar livre. É um caos total e em questão de estética urbana deixa nossa cidade muito feia. Sobre a questão dos LEDS, finalmente! Aquelas lâmpadas de luz amarela são tão fantasmagóricas e decadentes, parece que estamos no Rio do século 18. As luzes brancas de led são bem melhores e deixa a estética urbana da cidade mais aprazível

  7. Alguém avisa ao prefeito que Santa Cruz, Campo Grande, Bangu… também fazem parte do Rio. Na sua última gestão ele revitalizou o centro e segue com os olhos para lá. O outro lado da cidade existe e há desordem total, prefeito.

  8. Caro prefeito, o programa Tolerância Zero em conjunto com ações dos órgãos de assistência social (para aparar aos que realmente necessitam) seria muito bem-vindo ao Leblon, pois a situação aqui está descambando para um estado de desordem total.

  9. Caro prefeito, o programa Tolerância Zero em conjunto com ações dos órgãos de assistência social (para aparar os que realmente necessitam) seria muito bemvindo no Leblon, pois a situação aqui está descanbando para um estado de desordem total.

    • Se o Leblon você chama de quase desordem total, o que você diria de Anchieta, Ricardo de Albuquerque, Costa Barros e outros bairros com nome de pessoa?? (que geralmente isso no RJ significa bairro ruim, exceção São Conrado)

    • O Prefeito está de parabéns! O Centro do Rio de Janeiro é uma área histórica tem que ser respeitada e preservada. Além disso é uma das porta de entrada de turistas. Também concordo que a Zona Norte está muito abandonada, precisamos de investimentos com urgência. Mas estou confiante nas ações e na iniciativa do Pães.

  10. Se fosse o Crivella que tivesse feito essa reunião pra discutir Isso, o mundo tinha parado até defensores dos direitos humanos tinha surgido , mais como é o ladrão do pães ninguém falou nada, agora vão se sujeitar ao dudu71 ….

  11. Eu ando no centro quase todos os dias de bicicleta, até ano passado, eu até ousava a beber no amarelinho, e ouço sempre a mesma história:

    – pessoas que sonhavam com o rio da Tv e vieram tentar a vida, chegou aqui encontrou mazelas do Estado, xenofobia, concorrência desleal nos processos seletivos para vagas de emlregos ou pior, subemprego.
    -Pessoas que saíram da penitenciária após ser transferida e ao ganhar liberdade assistida, o Estado não providenciou sequer a passagem de volta pra seu Estado.
    Conheci gente com Doutorado que veio pra car e não consegui emprego, mulheres que estavam sub empregadas mesmo com lattes de tirar o chapéu, porém perdeu o emprego pq a empresa fechou ou mulheres que vieram pra cá pra fugir de violência doméstica.

    Se o Paes quer encarnar Edson Passos e fazer faxina, ótimo, é de bom grado ,porém deve-se observar as pessoas que não tem assistência de voltar pro Estado de origem, ou que não podem voltar pois correm risco de vida. Pessoas não se tocadas igual bicho.

    Outra coisa que chama a atenção, é que o Brasil favorece quem vive em conflito com as leis, são sempre os primeiros a receber assistencialismo, principalmente aqueles que invadem imóveis e terras. Poxa, com a nossa territórialidade poderia ser construidos novos “minhocões” e moradias pra serem financiadas para todas as classes sociais. Se a prefeitura montar um programa com vários tipos de residências ofertadas, rapidamente teria retorno financeiro e higiênico, hj em dia, qualquer pessoa com moradia consegue viver melhor, e o dinheiro de um aluguel pode virar uma prestação, fora que seria uma estratégia a longo prazo já que imóveis ficam de pai pra filho.

    Na zona oeste existem inúmeros espaços com metro quadrado barato pra prefeitura adquir. Depois de adquirido, é só abrir escolas, clínicas da família e áreas de lazer que ganha valorização, o comércio é consequência de quantidade de morador, quanto mais morador, mais pessoas abriram lojas e a arrecadação municipal aumenta.

    Boa sorte pra nós, e que nossa sociedade aprenda a fazer pressão pro executivo e o Legislativo trabalharam por coisas concretas e não por frases de efeito moralista , defendendo ideologias políticas que na verdade travestem que a verdadeira ideologia brasileira é quem tem mais dinheiro é que vive de forma digna, os demais, principalmente os assalariados, que sobrevivam o quanto aguentar e pronto.

  12. Voltem pros seus estados e lutem pelo que é de vcs aqui nós não precisamos de mais favelas nem de bandidos nas ruas que não são daqui e tudo que esse povo faz vai na conta do carioca tão de brincadeira. Com nossa cara faz tempo né não poder público

  13. Primeiro tem de acabar com BRT,não presta para um estado do tamanho de um ovo.segundo parar de dar casa e conseçoes para quem não é carioca.pq eu sou carioca (de verdade tá coleguinha sem terra Natal) e contribuinte desde os meus 16 anos e hoje tenho 51 e nunca nem carta de crédito me ofertaram pelos trabalhos prestados e impostos pagos. Ao vem pobres coitados de outros estados muitos com ficha suja junto a justiça e fica melhor que verdadeiro dono da terra vcs estão de sacanagem.vcs querem por inveja e despeito seus recalcados destruírem o mais lindo e das melhores pessoas (carioca) que o Brasil. Já produzil. ( não existe dinheiro publico babacas,o dinheiro é do contribuinte e não de quem vem da casa do Carvalho e nunca contribui nada aqui ou qualquer outro lugar da federação,deu pra entender ou quer que eu desenhe

  14. E os camelos que tem licença e depende desse trabalho pr sustentar a família como vai ser vão morrer de fome vão morar na rua por nao poder paga um aluguel pr mora se for tirado da rua concordo em tira quem não tem licença e faz bagunça na ruas sim eu e meu esposo dependemos do trabalho de camelô nosso sustento sai do trabalho na rua meu esposo é doente há trabalharmos a mais de vinte anos na rua temos licença como vai ser isso e temos um neto autista que depende do nosso trabalho de rua so um remédio que ele toma 300reais mesmo e ai como fica

  15. Bom dia.
    Mais uma vez vai jogar nosso dinheiro fora, em revitalização que não dá certo, como sempre é enxugar Gelo, esse pães derrubou um viaduto sumiu com as vigas construiu uma pista onde já existia outra e a região continua entregue as moscas.

  16. Trago aqui alguns questionamentos sobre o projeto do prefeito que afirma, por exemplo, que ” habitantes não gostam do camelô”. Qual é o projeto e geração de renda proposto pela prefeitura, especialmente num período em que metade da população não tem comida, nem onde morar, por isso o aumento significativo da população e rua.
    ” mendigos com colchão King size”??? Me pergunto se essa matéria elitista considera que os moradores de rua são privilegiados e não a Light e a Supervia, que obtiveram perdão fiscal para suas dívidas milionárias.
    O que o prefeito pretende fazer com a população de rua e com os trabalhadores sem renda? Vai executa-los, empurra-los para o crime nas periferia?

    • falou a PRIVILEGIADA BRANCA E PATRICINHA … kkkkkk ele devia levar eles pra sua mansão. eles tem que começar a ser ativistas para serem bancados….. kkk se todo mundo for ativista imagina so que beleza 😉

  17. A sociedade brasileira é mestra em varrer tudo para debaixo do tapete. Se tem alguém aí, esquerda ou direita, que gosta do que vemos nas ruas, moradores de rua desvalidos, camelôs etc, é doente, precisa de psiquiatra urgente. Agora, imaginar, que pura e simplesmente reprimir, espantar como moscas seres humanos desvalidos, resolve o problema, é caso de internação imediata!

  18. Choque de ordem já!
    Camelôs desordenados até no meio do caminho do famigerado VLT. Risco para os pedestres que tem que se desviar.
    Já passou da hora de acabar com os camelôs nas ruas. Que se dedique algum espaço como o camelódromo da Uruguaiana. Nas calçadas em frente aos lojistas é um ABSURDO.

    • E os camelôs do asfalto, carros apps acabando com os taxistas e fazendo filas em qualquer lugar, tirar camelôs é mole, quero ver acabar com os apps, que era 30dd, agora é 12 meses?

  19. O prefeito Paes se uniu com o pior do Rio, junto com o PT e PSOL, vai realizar medidas contra o povo do Rio. Trabalhadores hoje já sofrem pelos péssimo transportes que vem da época do primeiro mandato em 2011. Não aceitamos este governo que pães está fazendo, e só vai piorar com essa medidas restritivas.

  20. Tarefa difícil de fazer já que no Rio de Janeiro praticam-se delitos em toda a linha ; passo a enumerar atos nos logradouros e vias públicas
    1-defecam
    2- fazem sexo
    3- habitam
    4- drogam-se
    5- atracam pessoas para as roubar
    6- hostilizam os passantes
    7- comercializam todas as mercadorias, inclusive alimentos impróprios
    8- geram insegurança ao redor
    9- depredam o património público e privado
    10- mendicidade
    11- exploração de menores para essas mesmas actividades
    Etc etc .
    Resumindo, a lei é continuamente descumprida. Assim , tornou-se impraticável, ir, permanecer e viver o centro. Pena , muita pena

  21. Sim o centro precisa mesmo de organização!! Mas o que ele vai fazer com esses trabalhadores que dependem disso para seu sustento ? Pra ele é muito fácil da ordens em cima de pessoas nessecitadas , pq o dele tá na conta todo mês, fora o que rouba da gnt.

  22. Concordo com o prefeito. Na verdade essa situação se tornou fora de controle e tem trazido muitos transtornos à Cidade. A gente sabe que vai ser muito difícil pois temos visto agentes sendo agredidos por camelôs que não passam de maus elementos infiltrados, e ainda muitos moradores de rua que não aceitam irem pra albergues. Muitos estão ali por não terem outro tipo de trabalho, são pessoas ordeiras e decentes. Tudo tem que ser feito com muita prudência e cuidado.

  23. Brabão ele conseguir retirar tds os camelôs do centro do Rio…e o que será feito com esses trabalhadores que ele quer retirar dali?Já pensaram em algum projeto pra realocar tds?ou vão deixar milhares de famílias morrerem de fome ?ou vão criar uma nova geração de bandidos?pq se vc retira os caras do seu local de trabalho e não dá estrutura …o cara vai roubar…o cara vai cometer algum delito pra se manter.
    A pergunta então é…
    O que será feito em contrapartida ao retirar os camelôs do centro do Rio?
    A proposta até que é Boa…seria lindo ver o Rio revitalizado sem aquela bagunça…aquele estresse central que é…mas vão fazer como as falidas “UPP’s”?encheram os morros e favelas de policiais e não deram nenhum suporte ao povo…não criaram projetos para atender as comunidades e o que vimos foram coisas desastrosas em várias comunidades…
    tem que haver projetos para esses camelôs …antes de pensarem na revitalização do Rio deveriam pensar na revitalização do ser humano…procurar saber pq o cara tá ali…dar oportunidade …enfim N coisas que devem ser feitas…mas provavelmente não farão e o que veremos mais uma vez será lamentável.

  24. Os comerciantes e empresarios da regiao central pediram ao prefeito isencao do IPTU, pergunta se ele concedeu?? Nao tem como! Lotou de cabides na prefeitura com mega-salarios, tem que ter otario pra bancar isso!!! Quem tiver condicoes, mude do Rio enquanto é tempo. Prefeito tornou a cidade inviavel de cara, tanto pra se morar como.pra fazer negocios. O Rio agora é so ladeira abaixo.

  25. Prefeito tentando mostrar que esta retornando um pouco da fortuna de IPTU que recolheu dos empresarios falidos da regiao Central. Prefeito… ponha a mao na cabeca e se quer fazer alguma coisa pela regiao, comece isentando impostos de que voce na gestao passada disparou. Foi na ultima gestao do prefeito que o IPTU da cidade se tornou insuportavel de caro, a ponto de negocios serem fechados e proprietarios de residencias agora nao conseguirem pagar. O prefeito Paes acabou com rio de Janeiro, tornando a cidade insuportavel de cara pra se viver e avrir algum negocio. Basta ver pela linha amarela a que ponto chegamos, com renovacao de concessao para Lamsa sem.licitacao. A culpa do Rio estar nessa situacao é do carioca, que continua votando em.quem destruiu a cidade.

  26. Não tivesse feito coisas estúpidas na sua gestão anterior e que aceleraram o esvaziamento do Centro, não estaria agora tentando consertar.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui