Chico Alencar: O falso herói atrás das grades

'Antes da prisão, Gabriel Monteiro foi cassado pela Câmara de Vereadores do Rio. Fui relator do processo que resultou na cassação do seu mandato, por quebra do decoro parlamentar'

Gabriel Monteiro - Foto: Renan Olaz/CMRJ

Desde terça-feira (6), está disponível na Globoplay a minissérie documental “Gabriel Monteiro – Herói Fake”. São quatro capítulos, de cerca de meia hora cada um, que descrevem a história do ex-policial, youtuber e vereador do Rio, preso sob acusação de estupro e assédio sexual contra quatro mulheres.

Antes da prisão, Gabriel Monteiro foi cassado pela Câmara de Vereadores do Rio. Como membro do Conselho de Ética da Casa, fui relator do processo que resultou na cassação do seu mandato, por quebra do decoro parlamentar. O pedido acabou sendo acatado pela ampla maioria dos vereadores – 48 votos pela cassação e 2 votos contrários.

É exatamente a sessão da cassação o fio condutor da minissérie, que começa e termina com imagens do plenário do Legislativo carioca, no dia 18 de agosto deste ano. Ao fim do encontro que selou seu destino, Gabriel Monteiro deixou o Palácio Pedro Ernesto, na Cinelândia, pela porta lateral, em um carro que não era o seu, a fim de evitar passar diante de manifestantes.

“Gabriel Monteiro – Herói Fake” mostra a trajetória do jovem que aprendeu a manipular as redes sociais para simular situações em proveito próprio.

No começo da carreira policial, com discurso moralista, ataca pessoas públicas, como a cantora Anitta e o coronel Ibis Pereira, ex-comandante da Polícia Militar do Rio de Janeiro, um crítico do modelo de segurança pública.

Após a eleição para a Câmara Municipal, em 2020, quando obteve 60.326 votos, seus seguidores no Youtube dispararam. O faturamento na rede cresceu, beirando os R$ 300.000/mês, segundo cálculos de especialistas.

O relacionamento com funcionários do gabinete era de intimidação, assédio moral e sexual. A tal ponto que, mesmo sabendo do risco de perder os cargos, parte dos contratados entregou à imprensa e à polícia os vídeos que evidenciam edições fraudulentas, achaques e falsas diligências perpetrados por Gabriel Monteiro. Os arquivos são demolidores. Ali, começava a cair a máscara do “herói fake”.

A partir desse momento, o teor das denúncias se agrava. De falso paladino da justiça passa a ser acusado também de estupro e de violações ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Os depoimentos das mulheres – algumas menores – vítimas de abuso são estarrecedores.

Gabriel Monteiro é produto degenerado desses tempos de “youtuberização” e espetacularização da política, com “p” minúsculo.

A minissérie é um relato muito bem documentado da trajetória de um perigoso farsante, hoje atrás das grades. Seu destino está nas mãos da Justiça.

Confira.

graduado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Mestre em Educação pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e doutorando pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Chico Alencar tem mais de 30 de atuação na política institucional. Foi deputado federal por quatro legislaturas (2003 a 2019), deputado estadual (1999 a 2003) e voltou a ser vereador em 2021
Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Os “heróis fakes” estão presentes na vida brasileira, sobretudo no segmento político. Foi importante o expurgo dessa figura enganadora da vida pública, mas ainda é muito pouco diante do grande número de elementos iguais ao Sr. Gabriel Monteiro. O voto não é mais arma com poder de defenestrar essas pessoas da vida pública, pois os instrumentos de enganos denominados “Redes Sociais” nos apresentam as figuras mais nefastas como paladinos da justiça. Esperemos que ele não seja absolvido e volte a vida pública novamente, porque essa prática é corriqueira no Brasil.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui