Cirurgião dos famosos, Dr. Guilherme Scheibel esclarece dúvidas sobre rinoplastia

Especialista comenta pontos que devem ser avaliados antes da cirurgia e como técnicas instrumentais podem ajudar

A Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) divulgou que, em 2020, foram feitas no Brasil 87.879 cirurgias de rinoplastia. No mesmo ano, a busca pelo termo cresceu 4.800% no Google Trends. O procedimento tem a finalidade de remodelar o nariz, e também é usado para corrigir problemas nasais, como o desvio de septo. Em geral, seus resultados são satisfatórios, mas ainda há dúvidas sobre a cirurgia no nariz.

O otorrinolaringologista e cirurgião de rinoplastia Guilherme Scheibel já realizou o procedimento, do qual é especialista, em personalidades como o cantor sertanejo Mariano, conhecido pelo hit “Camaro Amarelo”; na modelo, influenciadora e ex-participante do reality show A Fazenda Jakelyne Oliveira; no youtuber Gregory Kessey; e na cantora carioca MABBI. O médico comenta que um dos principais questionamentos sobre a rinoplastia é a necessidade de quebrar ou não o nariz para realizá-la.

“Se o objetivo é afinar o dorso do nariz, sim, será necessário fazer uma fratura. Os pacientes têm receio de ficarem muito inchados e roxos no pós-operatório, ou sem respirar. Normalmente isso acontece na maioria dos casos dos métodos tradicionais. Mas devemos lembrar que, com a evolução das técnicas, os resultados também evoluíram”, contou Scheibel, que completou:

“Eu, por exemplo, uso um aparelho ultrassônico para remodelar e cortar os ossos nasais. Isso permite que eu tenha mais controle da fratura, além de ser menos traumático, deixando os pacientes sem roxos e pouco inchados no pós-operatório. Além disso, realizo simulações do resultado, que permitem ao paciente saber como o nariz pode ficar antes mesmo de ir para a sala de cirurgia”, completou.

Com isso, aliado às técnicas e instrumentais que ele desenvolveu, é possível ter um resultado mais natural e que combine com o rosto do paciente. Além disso, o médico reforça que seus pacientes conseguem respirar pelo nariz no pós-operatório, sem dores. Quanto ao tempo para notar os resultados, pode variar de acordo com a pessoa.

“Após passar todo o inchaço, o paciente começará a ver o resultado da operação. Porém, não é tão rápido assim e pode levar até um ano e meio. Por isso, é importante seguir toda a orientação médica dada no pós-cirúrgico, para que haja uma boa recuperação e em um bom tempo”, disse.

Um alerta que o especialista faz é sobre querer ter um nariz que não seja o adequado para o rosto. Ele cita o exemplo de pessoas que desejam copiar celebridades. O Dr. Guilherme reforça que isso não pode ser feito, porque diversos fatores são levados em consideração antes da cirurgia plástica, principalmente as características genéticas, étnicas e da pele. Outra situação a ser observada é a contraindicação. O otorrinolaringologista reforça que, em alguns casos, a intervenção não é recomendada.

“Existem algumas condições físicas e psicológicas que podem impossibilitar a realização da rinoplastia. A idade é um dos fatores, e não pode ser feita em menores de 13 anos, até porque nesse período o crescimento da face não está finalizado. Doenças pré-existentes também podem ser um impeditivo, caso não estejam controladas, assim como os transtornos emocionais. Nesse último caso, pode haver excesso de expectativa do paciente, além das possibilidades da intervenção. Por isso, antes de tudo, é pedida uma série de exames e uma avaliação completa do paciente. Temos que lembrar que existe uma pessoa única por trás, não se pode ver somente um nariz a ser operado”, concluiu.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui