Cláudio Castro garante recomposição salarial de 5,9% aos servidores do Rio

Medida, aprovada pela Alerj, passa a valer a partir de fevereiro de 2023. Cerca de 384 mil servidores ativos, inativos e pensionistas receberão o reajuste

Cláudio Castro - Foto: Rafael Campos/Governo do RJ

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, anunciou nesta segunda-feira, (12/12), que a recomposição salarial dos servidores, por meio de lei aprovada na Alerj, começará a ser paga nos salários de janeiro do próximo ano, 2023. Na prática, os servidores passam a receber os salários com o reajuste a partir do mês de fevereiro de 2023, quando os vencimentos de janeiro são depositados.

O percentual usado na recomposição corresponde ao IPCA acumulado entre dezembro de 2021 e novembro de 2022, que chegou a 5,9%, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pela divulgação do índice.

“Toda vez que o Estado não faz a recomposição salarial, na prática há uma redução no salário do servidor, porque houve inflação em todos os itens. Essa recomposição é fundamental para manter o poder de compra dele. O servidor é muito importante para o governo e para a economia do Rio de Janeiro”, declarou o governador Cláudio Castro.

A medida vale para cerca de 384 mil servidores ativos, inativos e pensionistas. Este é o segundo ano consecutivo que o Governo do Estado faz a recomposição salarial dos servidores. Nenhum reajuste era concedido desde 2014 na folha salarial. A conquista histórica segue à risca as regras do Regime de Recuperação Fiscal.

“A garantia da recomposição salarial e todos os avanços que estamos conseguindo tirar do papel devem-se ao resultado de uma gestão responsável das finanças públicas. Além de diminuirmos gastos, houve muito incentivo na economia. Com uma gestão fiscal responsável, conseguimos conceder esse aumento pelo segundo ano consecutivo”, comemorou o governador.

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Sim… mas os 25% da parcela de 23% relativa à recomposição de perdas relativas ao mesmo de setembro de 2017 até 2021. Isso significa que além dos 5,9% ele já deve 6,5% o que perfaz 12,4%. Vai honrar os acordos?

  2. desde que a tal de “responsabilidade fiscal” foi inventada, foi aplicada apenas no lombo dos servidores. que sejam feitas todas as medidas necessárias para se melhorar q qualidade do serviço à população, mas que se recompense financeiramente os mesmos pelo seu desempenho. essas regras não valem apenas para a iniciativa privada.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui