Com Axl Rose derrapando nos vocais, Guns N’ Roses se esforça para fazer show de quase 3h

Banda, que é praticamente sócia do evento, não disse a que veio em sua quinta apresentação na história do festival

Axl Rose, o Guns N' Roses, homenageia rainha Elizabeth no Rock in RIo Imagem: Reprodução / Multishow

Headliner do Rock in Rio pela quinta vez, o Guns N’ Roses subiu ao Palco Mundo, nesta quinta-feira (08/09), cercado de alguma expectativa dos fãs que queriam conferir de perto como anda a criticada voz de Axl Rose. O resultado foi apenas uma constatação do óbvio, o sessentão líder da banda está cada com a garganta cada vez mais debilitada pela ação do tempo.

Diante de mais de 70 mil pessoas, o Guns N’ Roses fez uma apresentação questionável e não incendiou em momento algum a plateia. Nem mesmo hits incontestáveis do grupo, como “Welcome to the Jungle” e “Sweet Child O’ Mine” foram capazes de prender a atenção da plateia dispersa. Ainda mais depois de uma super performance dos italianos do Maneskin.

A banda, capitaneada pelo guitarrista Slash e pelo baixista Duff mckagan tenta compensar as falhas do vocalista com muitos solos e backing vocals, tudo em vão. O Guns N’ Roses é apenas uma sombra da grande banda que um dia espantou o mundo com o seu som.

O fato curioso da noite, foi que na música “Knockin’ On Heaven’s Door”, cover de Bob Dylan, Axl surgiu com um chapéu e uma camisa com a bandeira do Reino Unido, em homenagem à rainha Elizabeth II, que morreu nesta quinta-feira.

Vale um elogio pela disposição do grupo em subir pontualmente ao palco e tocar por quase 3h, mostrando que, ao menos, o conjunto ainda tem disposição de sobra para encarar os mega festivais. Tudo isso sem fazer uso de playback, que artistas pops que poderiam ser filhos, ou até avôs dos integrantes, usam a rodo.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui