Com investimento de R$ 1,8 bi, iluminação pública por LED já ultrapassa meta, mas ainda enfrenta desafios

Comissão Especial da Câmara do Rio acompanha a modernização do parque de iluminação carioca, implementando por PPP do setor

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Ruas da Lapa já com iluminação de led

As ruas da cidade do Rio de Janeiro receberam 467,9 mil luminárias de LED – 17,9 mil a mais do que o estabelecido para abril deste ano, segundo o consórcio Smart Luz, responsável pela revitalização da iluminação pública da cidade, por meio de uma Parceria Público Privada (PPP), que mobilizou R$ 1,8 bilhão em investimento. As informações foram divulgadas, nesta terça-feira (21), durante a reunião da Comissão Especial da Câmara do Rio, presidida pelo vereador Rafael Aloisio Freitas (PSD).

O diretor de operações da Smart Luz, Marcos Moreira, ressaltou que a PPP, celebrada em abril de 2020 e com prazo de 20 anos, já recebeu mais de R$ 1,8 bilhão, os quais foram aplicados na instalação de lâmpadas de LED; na substituição de postes e investimento em projetos especiais; como o Smart City, que prevê, dentre outros pontos, a instalação de diversas câmeras de monitoramento e pontos de Wi-fi pelo Rio.

Marcos Moreira ressaltou, no entanto, que dos 34,5 mil postes, apenas 9,7 mil postes foram substituídos até o momento. A meta é de que a cidade tenha 532,92 mil pontos de iluminação de LED e atinja a meta de substituição de postes até setembro deste ano.

Advertisement

Durante a reunião, o diretor da Smart Luz disse ainda que até dezembro, a cidade deve receber 10 mil câmeras de monitoramento e cinco mil pontos de Wi-Fi. Até o momento, entretanto, essa meta perece um pouco distante, pois  o consórcio conta com apenas 3,6 mil câmeras ativas e 847 pontos de internet sem fio em funcionamento.

A vereadora Rosa Fernandes (PSD), presente ao evento, criticou o baixo desempenho da Smart Luz, destacado que há pontos da cidade às escuras. Caso da Igreja de Nossa Senhora da Apresentação, em Irajá, na Zona Norte carioca.

“A Igreja hoje encontra-se totalmente apagada, o que é uma desmoralização para Rio Luz, para Smart Luz e para prefeitura”, reclamou a política, acrescentando: “Não tem LED nas praças de campos de futebol em diversos bairros do subúrbio. Não tem nem refletor antigo para colocar no lugar. Esta é a cidade do Rio, que tinha melhor avaliação em termos de iluminação”, concluiu Rosa Fernandes.

Marcos Moreira creditou os problemas relatados pela vereadora a roubos, furtos, vandalismo e demais problemas de segurança.

“Temos pedido auxílio para o órgão fiscalizador, para nos ajudar da melhor maneira possível, reforçando a segurança pública. Isso tem atrapalhado a manutenção de determinados pontos, porque são atos recorrentes. É uma perda de quase um milhão de reais por mês”, disse o diretor da Smart Luz, empresa que tem apostado em medidas anti-furto, como a instalação de caixas gradeadas em seus equipamentos, eletrocalhas anti-furto, concretagem de caixa de passagens e a substituição de fios de cobre por fios de alumínio, para evitar o furto de cabos.

O vereador Jair da Mendes Gomes (PRD), membro da comissão, afirmou esperar a resolução dos problemas de iluminação pública dentro do prazo determinado pelo consórcio. “Espero que realmente as iluminações sejam substituídas até setembro. Na Zona Sul e em locais turísticos tem refletores instalados, enquanto no subúrbio é difícil haver a colocação”.

Também participaram da reunião os vereadores Ulisses Marins (União) e Willian Coelho (DC).

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Com investimento de R$ 1,8 bi, iluminação pública por LED já ultrapassa meta, mas ainda enfrenta desafios
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui