Comlurb removeu 378,9 toneladas de lixo do Rock in Rio

A Comlurb atuou diariamente com cerca de 1.000 garis na gestão de resíduos do evento, na parte interna e mais 181 garis na parte externa

A Comlurb fechou o serviço de limpeza do Rock in Rio, na manhã desta segunda-feira (12/09), com um total de 378,9 toneladas de resíduos, interno e externamente, em sete dias, sendo 228 toneladas de materiais potencialmente recicláveis e 150,9 toneladas de orgânicos. Somente na última noite de shows, no domingo (11/09), foram 54,3 toneladas, somando as 35,8 toneladas dos potencialmente recicláveis com as 18,5 toneladas de orgânicos. Durante o evento-teste realizado no dia 30/08, foram removidas outras 4,4 toneladas de resíduos. 

A Companhia atuou diariamente com cerca de 1.000 garis na gestão de resíduos do evento, na parte interna, durante 24 horas, englobando: áreas de circulação do público, gramados, praças de alimentação, área VIP, backstage, arenas e velódromo, e 181 garis na parte externa, inclusive nas vias de acesso à Cidade do Rock. O evento foi palco também da apresentação e início de operação de duas novas varredeiras compactas mecanizadas, que fazem parte do pacote de cerca de 300 veículos e equipamentos adquiridos pela Companhia e anunciados pelo prefeito Eduardo Paes em março.

A Comlurb é responsável ainda pela destinação correta do lixo gerado no evento, com os resíduos potencialmente recicláveis sendo direcionados às cooperativas de catadores contratadas pelos organizadores do festival. Os resíduos orgânicos foram entregues pelo Rock in Rio para um projeto de compostagem com uma empresa privada. Para facilitar o descarte correto de resíduos, cerca de 2000 contêineres foram distribuídos, tanto na parte interna quanto na parte externa da Cidade do Rock.

Equipes do Lixo Zero, com apoio da Guarda Municipal, realizam rondas em toda a parte externa da Cidade do Rock, incluindo a Avenida Abelardo Bueno e vias de acesso, próximo a estações do BRT e pontos de ônibus, para flagrar inconformidades com a Lei de Limpeza Urbana. Em sete dias de shows, foram aplicadas 38 multas, sendo 12 para pessoas urinando em via pública, 23 por descarte indevido de pequenos resíduos, e três por propaganda irregular.

Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. Um absurdo que em evento privado seja a Comlurb utilizada. Recebeu por isso???

    Primeiro, porque empresa pública.

    Segundo, porque o organizador contratando seriam mais empregos gerados.

    Infelizmente esses nossos políticos e governantes são uns incompetentes.

    Cadê os vereadores para fiscalizar a atuação da Prefeitura???
    Cadê o Tribunal de Contas??
    Cadê a Imprensa?

    Crítica semelhante tenho com relação à Polícia empregada nesses eventos de shows como esportivos sob organização de entidades privadas.

    Contudo, nesse caso, a Polícia pode ser empregada num quantitativo necessário, mediante cobrança de taxa, porque a segurança privada careceria de amplo poder (não tem poder de polícia) para atuar nos casos de violência à pessoa e outros contra seu patrimônio (furtos e roubos) – o pagamento de taxa assim ocorre na principal liga do mundo (inglesa) e outras europeias.

    Mais uma vez repito. Infelizmente nossos políticos e governantes são uns incompetentes.

    • e o MP??? terra sem lei esse rj e esse brasil. e todos se quedam inertes – eu fui ao roquinrio e perguntei a dois garis se eles estavam em algum tipo de serviço extra – não!!! ambos disseram estar no serviço ordinario – assim como o prefeito, e seus apoiadores que fazem vista grossa ´´pra isso
      enquanto isso aqui em Bangu, gari so no comercio, pois as ruas de moradia estão abandonadas- e o 1746 mente, fechando protocolos de pedido de serviço alegando q o serviço foi prestado sem ninguem ter aparecido!!!

    • Estou perguntando aqui há dias sobre isso. Se a Comlurb recebeu por isso.
      E quantos ingressos e para quem nominalmente o Rock in Rio deu à servidores públicos, a políticos e à pessoas publicamente expostas. E se nada deu, que diga que nada tenha dado. Desta informação acho que entenderemos muitas outras coisas.

        • Oi Quintino!
          Então seria importante cobrar , não?
          Afinal, transparência que um governo sério deveria estar preocupado em passar…
          Mas nunca sabemos nada é informado, a não ser números de toneladas recolhidas, de funcionários empregados etc., mas quanto recebeu a empresa pública ou a polícia… nada desses governos informarem…
          Vai ver que se de um lado recebeu, do outro isentou em impostos e taxas municipais e estaduais…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui