Consórcios terão sete meses para instalar sensores de temperatura nos ônibus do Rio

Objetivo é medir o funcionamento dos ar-condicionados nos coletivos. A medida foi publicada pelo prefeito Eduardo Paes na edição desta terça-feira (27/12) do Diário Oficial

Ônibus no Rio de Janeiro | Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

Cariocas que diariamente pegam conduções que mais parecem fornos receberam uma boa notícia nesta terça-feira (27/12). A Secretaria municipal de Transportes (SMTR) estipulou o prazo de sete meses (até 31 de julho de 2023) para que os consórcios que operam as linhas de ônibus do Rio instalem monitores que irão medir o funcionamento dos ar-condicionados dos coletivos. A medida consta de um decreto do prefeito Eduardo Paes publicado nesta terça-feira no Diário Oficial.

O objetivo é facilitar a fiscalização da prefeitura, permitindo que a verificação, se os aparelhos estão ou não ligados, seja feita em tempo real. Em caso de alguma irregularidade, o consórcio pode ser penalizado com redução do subsídio que a prefeitura paga desde julho deste ano aos consórcios para complementar o valor da passagem, que hoje é de 4,05.

De acordo com informação trazida pelo jornal Extra, a decisão será apresentada em reuniões esta semana aos empresários de ônibus durante a discussão sobre o valor da tarifa a ser cobrada dos passageiros em 2023. Um possível reajuste não está descartado.

O importante aí é que quem não ligar o ar não vai receber (o subsídio integral)“, disse o prefeito ao portal.

Segundo reportagem de 14 de dezembro do jornal O Globo, em um mês, a prefeitura recebeu mais de cinco mil reclamações sobre ônibus sem ar-condicionado. De janeiro até então, a SMTR aplicou 715 multas por falta de ar-condicionado nos ônibus. O valor da infração é de R$ 531,98.

No decreto, Paes justificou a medida lembrando que, em acordo judicial, os consórcios se comprometeram a climatizar toda a frota até 30 de setembro de 2020. E que é ‘”poder-dever do Município do Rio de Janeiro de incentivar, promover e assegurar a prestação adequada do serviço público de transporte coletivo de passageiros, mediante constante aperfeiçoamento técnico, tecnológico e operacional dos serviços, com elevados níveis de qualidade, eficiência, cortesia na sua prestação e modicidade tarifária”.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Não acredito que isso vá a frente. Principalmente na zona oeste que é raro ter um ônibus com ar funcionando. Zona oeste digo Padre Miguel, Realengo, Bangu, Campo Grande e Santa Cruz.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui