Copa do Mundo no Rio de Janeiro: veja os jogos do Mundial que foram disputados na cidade em 1950 e 2014

Conheça um pouco de cada um desses confrontos de seleções que aconteceram em nossa cidade. Algumas partidas entraram para a história das Copas

O famoso gol de Ghiggia, do Uruguai. Foto: Agência AP

A Copa do Mundo de 2022 está a todo vapor. Jogos e mais jogos acontecem por todo o Catar. Mas nem sempre o clima quente com futebol foi lá. O Brasil já sediou dois mundiais de seleções de futebol (1950 e 2014) e o Rio de Janeiro – sempre no Maracanã, construído e reconstruído para as edições – foi sede de algumas partidas, entre elas duas finais.

Conheça um pouco da história de cada um desses confrontos de seleções que aconteceram em nossa cidade.

Copa de 1950 – Brasil 4 x México 0 – A estreia

Gol de Ademir Menezes: o primeiro oficial da história do Maracanã

A abertura da Copa do Mundo de 1950 foi também a estreia oficial do Estádio do Maracanã. Diante de um público de mais de 81 mil pessoas (81. 649), a Seleção Brasileira, com gols de Ademir Menezes, o “queixada”, que jogava no Vasco (fez dois, inclusive o primeiro da Copa e do Maraca), Jair e Balttazar, o Brasil goleou o México e começou o Mundial com força total.

Copa de 1950 – Brasil 2 x Iugoslávia 0 – Classificado!

Foto: Arquivo CBF

A segunda partida da Seleção Brasileira na Copa de 1950 foi disputada também no Rio de Janeiro, no Maracanã. A vitória teve menos gols que a primeira, mas garantiu a classificação para a fase seguinte. Os gols foram de Ademir (que terminou como artilheiro da competição, com 9 gols) e Zizinho. O público foi de 142. 429 pessoas – saudades do velho Maraca, né?

Copa de 1950 – Inglaterra 2 x Chile 0 – Maraca ‘vazio’

Foto: arquivo da Federação Chilena de futebol

Em partida válida pelo grupo 2 da Copa de 1950, ingleses e chilenos se apresentaram no Maracanã para um público até pequeno para as proporções da época. Foram pouco mais de 29 mil pessoas, que viram os gols de Mortensen e Mannion para a Inglaterra diante do Chile.

Copa de 1950 – Espanha 2 x Chile 0 – O jogo que aconteceu novamente no futuro

Foto: Agência AP

Essa partida se repetiu na Copa de 2014, na mesma rodada, no mesmo Maracanã. Contudo, falando do jogo de 1950, a Espanha venceu o Chile com certa facilidade e um placar tranquilo, encaminhando sua classificação para a fase seguinte do Mundial e ajudando a eliminar os sul-americanos. O árbitro foi brasileiro: Alberto da Gama Malcher.

Copa de 1950 – Espanha 1 x Inglaterra 0 – Jogaço pouco lembrado

O jogo entre espanhóis e ingleses sacramentou a eliminação da seleção da Inglaterra e garantiu a Espanha no quadrangular final – o regulamento era outro à época. O time da terra da rainha perdeu para a zebra Estados Unidos no confronto anterior foi com tudo para cima da Fúria, pois ambas tinham chance de avançar na Copa. O placar magro não traduz uma grande partida, extremamente disputada, lembrada até hoje como um dos grandes jogos daquele mundial, embora esquecida em listas de jogos históricos de todas as Copas. Inclusive, a Seleção Brasileira estava no Maracanã vendo o jogaço e o habilidoso meia Zizinho, chamado de Mestre Ziza por conta da categoria em campo, décadas depois, declarou que aquele foi um dos jogos mais belos que ele viu na vida.

Copa de 1950 – Brasil 7 x Suécia 1 – Esse sete a um não se esquece

O placar assusta a torcida brasileira, todavia, desta vez foi positivo. Na primeira rodada do quadrangular final, a Seleção do Brasil atropelou os suecos e cravou uma goleada histórica para um público de 138 mil pessoas. Ademir Menezes, que foi revelado no Sport de Recife e também jogou pelo Fluminense, além de ser ídolo no Vasco, fez quatro gols. Chico guardou dois e Maneca deixou um. O da Suécia foi feito por Andersson, aos 67 minutos. O Oscar deles.

Copa de 1950Brasil 6 x 1 Espanha – Touradas no Maracanã e em Madri

Mais um massacre brasileiro no Maracanã. Desta vez a vitima foi a favorita Espanha, que era apontada junto com o Brasil para vencer a Copa de 1950. Porém, no Maraca, a Fúria ficou calminha. O público foi de 152 mil pessoas e a goleada fez a equipe amarelinha colocar as duas mãos na taça. A vitória é lembrada também por causa de uma marchinha de Carnaval: “Touradas em Madri”, de Braguinha, cantada pela torcida brasileira enquanto enfileirávamos gols e dávamos “olé” nos espanhóis. O compositor, inclusive, que estava no estádio, chorou de emoção. Uma pena que deu tudo errado no outro jogo realizado no Rio de Janeiro e o choro foi coletivo e de tristeza.

Copa de 1950 – Uruguai 2 x Brasil 1 – Maracanazo

Um dos jogos mais trágicos da história das Copas do Mundo. E do futebol. O Rio de Janeiro, o Maracanã, que vinham sendo um locais de grandes vitórias para a Seleção Brasileira, se tornaram cenário de tristeza extrema. Franca favorita, a equipe canarinha foi vencida pelo Uruguai, que havia empatado com a Espanha e vencido a Suécia por 3 a 2, justamente os dois times goleados pelos brasileiros. O “Maracanazo”, como a partida ficou conhecida, acabou com 2 a 1 para a Celeste, com o famoso gol de Ghiggia, que se sagrou campeão do mundo no Brasil, no Rio de Janeiro, diante do maior público da história das Copas: 173.850 pessoas.

Copa de 2014 – Equador 0 x França 0 – Sem muitas emoções

Foto: Reuters

Jogo morno, com a França classificada e sem titulares e o Equador com chances de avançar às oitavas de final, a partida acabou mesmo 0 a 0. Para piorar, os equatorianos perderam um dos seus jogadores, Antonio Valencia, expulso. O resultado eliminou os sul-americanos da Copa de 2014.

SERGIO CASTRO - A EMPRESA QUE RESOLVE, desde 1949
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca

Copa de 2014 – Argentina 2 x Bósnia Herzegovina 1 – Golaço de Messi no Maraca

Com direito a golaço de Messi no Maracanã, os argentinos venceram o país do Leste Europeu e estrearam com o pé direito na Copa do Brasil de 2014. Os argentinos ainda voltariam a jogar no Maraca, na final. A história desse jogo, você vai ver mais para baixo.

Copa de 2014 – Espanha 0 x Chile 2 – Troco chileno

Foto: D. M. (REUTERS)

Chile e Espanha se enfrentaram no velho Maracanã na Copa de 1950 e voltaram a se encarar em 2014, já no estádio reconstruído. Desta vez, o Chile venceu. Devolveu os 2 a 0 e a eliminação de 64 anos antes. Com gols de Vargas e Aránguiz, os chilenos se classificaram para a fase de oitavas de final e eliminaram a Fúria, campeã em 2010. A derrota foi pesada para os espanhóis, uma das consideradas favoritas até então. O troco chileno demorou, mas veio e foi caro.

Copa de 2014 – Bélgica 1 x Rússia 0 – “Jogo sem vergonha”

 Foto: AFP PHOTO / YASUYOSHI CHIBA

A torcida no Maracanã não perdoa. Nelson Rodrigues dizia que até minuto de silêncio se vaia. E assim foi. Os quase 70 mil presentes no Maraca já gritavam “time sem vergonha” (para os dois lados) quando a Bélgica fez um gol, com Origi, no fim do jogo. Os belgas passaram para a fase de mata-mata.

Copa de 2014 – Colômbia 2 x Uruguai 0 – Um show da boa geração colombiana

Já nas oitavas de final, colombianos e uruguaios, com boas seleções, se enfrentaram no Maracanã. Sensação da primeira fase, considerada por muita gente o melhor futebol da Copa nos três primeiros jogos, a Colômbia, liderada por James Rodrigues, bateu o Uruguai – que estava de volta ao Maraca em uma Copa do Mundo depois de 64 anos. Nas quartas, o Brasil eliminou a boa geração colombiana.

Copa de 2014 – Alemanha 1 x França 0 – O clássico antes do 7 a 1

Um clássico digno de quartas de final de uma Copa do Mundo. O Maracanã lotado viu dois campeões do mundo travarem um grande duelo. A Alemanha acabou classificada para as semifinais, fase na qual pegou o Brasil e fez o que fez. Sim: o 7 a 1. O resto é história.

Copa de 2014 – Alemanha 1 x Argentina 0 – Decisão da indecisão

Com a Seleção Brasileira eliminada após o 7 a 1 diante da Alemanha nas semifinais, no Mineirão, em Belo Horizonte, ficou difícil escolher alguém para torcer nesta final. Difícil, porque de um lado estavam os alemães (que fizeram o que fizeram conosco no jogo anterior) e do outro os rivais argentinos, que estavam em todos os cantos da cidade do Rio, torcendo feito loucos – que é o jeito certo de torcer. Me lembro de ver essa partida com uns amigos, na casa de um deles, e ficamos em um clima de “tanto faz”. Pelo menos foi uma boa partida para se assistir. Deu para curar um pouco da ressaca.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui