Coreto da Praça Catolé do Rocha, em Vigário Geral, é restaurado

Sem receber manutenção desse porte há mais de 20 anos, o coreto teve toda a sua cobertura recuperada, pela primeira vez

Foto: Divulgação/Seconserva

Um dos monumentos da região da Leopoldina está de volta. A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Conservação, restaurou o coreto da Praça Catolé do Rocha, em Vigário Geral. Sem receber manutenção desse porte há mais de 20 anos, o coreto teve toda a sua cobertura recuperada, pela primeira vez. O valor do investimento é de, aproximadamente, R$ 290 mil. A ação teve o apoio da Subprefeitura da Zona Norte.

O serviço, executado sob a supervisão da Gerência de Monumentos e Chafarizes, vinculada à Conservação, durou cerca de seis meses. A cobertura, em ferro fundido e forro de madeira, que estava totalmente danificada, ficou nova em folha.

Ainda foram recuperadas outras peças em ferro fundido, como o guarda-corpo, o corrimão da escada, os pilares, o portão de acesso e as janelas do embasamento. E as partes em concreto também precisaram de pequenos reparos.

História do coreto de Vigário Geral

O coreto octogonal, erguido sobre embasamento em concreto, com estrutura em ferro fundido, foi inaugurado na Praça Saens Peña, na Tijuca, em 1911, pelo então prefeito Bento Ribeiro. Desmontado por causa das obras do metrô, o monumento foi reinaugurado em 1977, já na Praça Catolé do Rocha, em Vigário Geral. É tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural – Inepac desde 1985.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui