‘Correr é bom demais’: conheça Pedro Paulo, professor viralizou por correr longas distâncias no Rio de Janeiro

Professor de educação física e corredor, Pedro impressiona seus seguidores ao compartilhar seus treinos nas mídias sociais

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

Seja na ciclovia ou no meio da rua, a corrida não pode parar. Com 420 mil seguidores no Instagram, Pedro Paulo o dono do bordão “Correr é bom demais” impressiona ao compartilhar nas suas redes seus treinos e suas rotas de corrida pelo Rio de Janeiro.  

Pedro é professor de educação física e começou sua trajetória em 2012 quando estagiava em salões de musculação, durante a época da faculdade ele começou a correr, não como forma de esporte, mas como forma de transporte, visto que ele ganhava mais tempo se locomovendo correndo pela cidade do que usando os transportes públicos nos horários de pico.

A formação na área esportiva o ajudou a estudar e aprender mais sobre o esporte, mas ao se formar Pedro teve que se afastar das corridas por um tempo para se dedicar ao ofício de Professor de musculação, a carga horaria da profissão pode chegar a 12/13 horas por dia, incluindo finais de semana na grande maioria das vezes.

No ano de 2020 durante a pandemia foi que Pedro achou uma brecha nos horários para poder voltar a praticar corrida, ele começava a correr na madrugada, um horário com pouquíssimas pessoas na rua. Com o fim da pandemia o professor teve que parar novamente com os treinos para voltar as aulas nas academias. Mas foi durante a gestação da sua esposa que o professor voltou a corrida de fato, em um de seus treinos ele percebeu que tinha levado o celular em seu bolso “Quando eu estava me alongando, eu pensei, cara, já que eu estou com o celular no bolso eu vou filmar essa corrida aqui.” Contou o atleta.  A partir desse dia tudo começou a mudar, o vídeo viralizou e Pedro começou a compartilhar mais vídeos mostrando todo o trajeto de seus treinos de corrida.

Advertisement

Pedro nos conta que um dos benefícios de ter viralizado na internet foi o de poder diminuir a carga horária de trabalho, antes o professor trabalhava 12 horas por dia, hoje ele diz que conseguiu diminuir as horas, trabalhando 8 horas por dia e conseguindo assim ganhar mais tempo para passar com a sua família e poder descansar.

Quando perguntado como decide as rotas de seus treinos Pedro nos diz que tudo é feito de forma muito orgânica, “minha casa é do lado da suburbana, eu posso pegar tanto para a direita como pra esquerda. Se eu for pra direita eu vou pra zona sul, se eu for pra esquerda eu tenho oportunidade de ir sentido Madureira ou pegar a Estrada Velha da Pavuna e ir até Irajá, Pavuna… Se eu vou pegar reto eu caio na Avenida Brasil.  Então eu bato com essas escolhas as vezes de madrugada enquanto eu estou me alongando e aí eu decido pra onde eu vou” comenta o treinador.

Com todas essas opções de caminhos, Pedro diz que as principais dificuldades que ele como corredor encontra ao correr pelo Rio de Janeiro são o trânsito, a falta de ciclovia pela cidade e a conservação das ruas que na maioria das vezes estão esburacadas, o que pode ocasionar risco de acidentes e lesões para quem está buscando se exercitar.

Para os admiradores que queriam ter o gostinho de correr com o professor pelas ruas do Rio, no mês passado, no feriado do dia 21 de abril Pedro organizou uma corrida junto aos seus seguidores, indo do bairro de Maria da Graça, zona norte do Rio de Janeiro, até a Igreja da Candelária na região central da cidade, a corrida teve um número extraordinário de pessoas inscritas e presentes correndo ao seu lado. “Quando eu cheguei na pracinha tinham 200 pessoas, gente da zona sul, da zona oeste, do centro, gente de Sepetiba. E ainda encontramos mais pessoas no Maracanã, com gente de todas as idades, desde 17 até 72 anos correndo.” Conta Pedro.

E para quem se inspira no professor e quer começar a correr pra ter uma vida mais saudável a dica de Pedro é correr antes de ir pro trabalho “Põe o tênis mais confortável que você tem, sai de casa, corre cinco minutos para direita e volta, no outro dia corre 5 minutos pra esquerda e volta, com o passar do tempo esses minutos não vão passar a ser suficientes e você vai aumentando o tempo” fala o treinador.

Pedro alerta que no início é difícil mesmo, a dor vai ser presente, vai incomodar, mas que com o tempo as coisas melhoram e a gente percebe que a escolha do exercício físico traz melhoras no nosso sono, na alimentação, nos pensamentos que ficam mais fluidos, além é claro de uma rotina muito mais equilibrada.  

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp 'Correr é bom demais': conheça Pedro Paulo, professor viralizou por correr longas distâncias no Rio de Janeiro
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui