Matéria do Meio e Mensagem mostra que Red Bull Air Race desse ano vai ser uma degustação para o público brasileiro. Veja esse techo da matéria:

Em termos de patrocínios, o sócio-diretor da Rio 360 diz que não haverá nenhuma marca nacional associada ao evento, que tem neste ano um caráter de degustação. “A captação de patrocínios locais faz parte do nosso plano, mas precisamos antes fazer uma apresentação do evento e da sua dimensão internacional”, explica Gertrudes.

Leia o resto da matéria:

Cidade recebe primeira prova do ‘Red Bull Air Race World Series’ no Brasil

Robert Galbraith

Depois de décadas povoando a imaginação até de quem não consome Red Bull, as asas do famoso energético poderão ser vistas no Rio de Janeiro, no feriado de 21 de abril, quando será realizada a primeira prova do Red Bull Air Race World Series no Brasil. Participam da competição 13 aviões turbo-hélices de três modelos, que chegarão ao País trazidos por um cargueiro Antonov. Os pilotos, assim como na Fórmula 1, precisam de uma superlicença para participar da prova, na qual são exigidas acrobacias ao longo do percurso, que dura cerca de duas horas e meia.

Os turbo-hélices decolarão do aeroporto Santos Dumont pela pista intermediária no horário de menos movimento do dia, de acordo com as exigências da Infraero, que autorizou o evento. Ricardo Gertrudes, sócio-diretor da empresa organizadora da investida, a Rio 360, garante que a realização da prova não afetará o fluxo de vôos.

A comparação com a Fórmula 1, segundo Gertrudes, não se limita à chegada dos participantes no maior avião do mundo. Além da velocidade de 400 quilômetros por hora dos turbo-hélices, que estarão cobertos de publicidade, cerca de 500 pessoas compõem o grupo de produção internacional, além de outras duas mil na parte nacional. As equipes vão gerar as imagens da competição, que serão transmitidas para 80 países.

Na quinta e sexta-feiras, dias 19 e 20, haverá treinos livres para os pilotos azeitarem suas máquinas. Em vez de boxes, as equipes cuidarão de seus aviões em hangares. Uma estrutura especial será montada na enseada de Botafogo para os convidados da organização – diretores de marketing de empresas, executivos de agências, celebridades e formadores de opinião. Eles vão poder apreciar, dentre outras manobras, loopings invertidos e vôos rasantes, a 15 metros da superfície, para superar obstáculos montados sobre balsas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui