Crimes de extorsão crescem 40% no RJ

Os dados são do último levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP)

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou na última semana dados referentes aos principais indicadores de criminalidade e atividade policial no estado do Rio de Janeiro em 2023. O instituto apresenta uma série histórica destes indicadores ao longo dos últimos 20 anos (2003-2023). A coleta dos dados ocorreu a partir dos registros de ocorrência da Secretaria de Estado da Polícia Civil do Rio de Janeiro (SEPOL), em conjunto com estatísticas oriundas da Secretaria de Estado da Polícia Militar (SEPM).

O estado do Rio de Janeiro registrou 3.264 casos de crimes de extorsão no ano de 2023, conforme levantamento do ISP. Para fins comparativos, esse número representa um crescimento de 41,7% em relação ao ano de 2022, que apresentou 2.033
ocorrências.

De acordo com o relatório, os registros de crimes de extorsão cresceram significativamente no estado, sobretudo a partir de 2021, quando os indicadores apresentavam 1.653 casos. Os números referentes ao ano passado representam o maior
valor registrado na série histórica deste delito.

Conforme consta o relatório do ISP, os índices de extorsão são apenas uma categoria dentre aquelas que compõem os crimes contra o patrimônio, a exemplo de roubo de carga, estelionato, dentre outros. No entanto, os casos de extorsão apresentam uma curiosidade em relação aos demais indicadores, tendo em vista que foi o único que apresentou um aumento de denúncias de 2022 a 2023. Entre estes, destaca-se a queda nos indicadores para roubos de cargas e roubos de transeuntes, que apresentaram queda de 23,7% e 21,6%, respectivamente.

Advertisement

Leia também

Conheça seis motivos para investir em uma pós-graduação

Aeroporto Santos Dumont pode ser fechado durante o G20, em novembro

O crime de extorsão é complexo e demanda, como tal, uma ação interessada por parte do poder público e das forças policiais. Na cidade do Rio de Janeiro, sobretudo por conta dos espaços sob domínio de forças não estatais, o número tem a tendência de ser ainda maior que o oficial, dado que o simples movimento de denunciar também é, muitas vezes, sufocado pelo medo”, diz Philippe Guedon, diretor do Instituto Rio21.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Crimes de extorsão crescem 40% no RJ

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui