Jair Bolsonaro, Marcelo Crivella e Wilson Witzel
Reprodução Internet

O Flavio Bolsonaro pode ter lançado a pré-candidatura de Rodrigo Amorim pelo PSL, mas no que depender da opinião do jornalista Cássio Bruno/O Dia, um apoio do presidente Jair Bolsonaro à candidatura de Marcelo Crivella (PRB) não estaria distante. Apesar de não haver declaração de não ter nenhum prova da aliança, há evidências.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Uma delas seria no encontro de Bolsonaro com Crivella no Maracanã, no último domingo, quando o capitão teria dito chamado alto Crivella de “Meu Prefeito”, o que não seria comum por parte do presidente. Os 2 também estariam participando de vários eventos juntos nos últimos meses.

Estrategicamente faria todo o sentido Crivella e Bolsonaro dividirem o palanque, já que disputam a mesma fatia do eleitorado conservador. E em pesquisas não divulgadas, nem o candidato do PSL, nem o atual prefeito, chegam a 2 dígitos, mas juntos, podem levar a disputa para o 2º turno.

E, nesse caso, pode muito bem repetir 2016 e ter um 2º turno entre Crivella e Marcelo Freixo (PSol). Será que o resultado será o mesmo?

E como fica Wilson Witzel (PSC)? Bem, Pedro Fernandes foi para seu partido… mas seria difícil ser competitivo em uma aliança dessa no campo conservador.

Falei sobre a possibilidade de um 2º turno entre Crivella e Freixo no Papo com Quintino de hoje. Assista:

3 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui