Tenho muitas crônicas inspiradas ou até mesmo escritas no transporte público. Já publiquei um livro que tem essa temática. A crônica desta semana, no DIÁRIO DO RIO vai pelo mesmo itinerário.

Em uma segunda-feira qualquer, no ônibus 383 (Realengo x Praça da República), às 18h, um aluno da Rede Faetec com o caderno aberto está explicando matemática para uma senhora.

Uma moça, presente no veículo, encantada com a cena, perguntou: Você está ensinando o quê?

O menino respondeu: “Tô ensinando Seno, Cosseno e Hipotenusa para ela”.

O papo continuou: “Vocês estudam juntos?”, questionou a moça, que logo teve a resposta:

“Não. Conheci agora e ela me perguntou se eu sabia a questão. E eu sabia e fui ajudar. Dei uma dica para facilitar o estudo de Trigonometria”.

A moça, que se chama Geovana, parou de perguntar porque teve que descer na Central do Brasil. Mas antes, ela ficou sabendo o nome dos dois. O aluno chama-se Guilherme da Silva Soares de 15 anos. Ele faz o curso de Jogos Digitais na Faetec de Quintino Bocaiúva, Zona Norte do Rio. Ele mora em São Gonçalo. Já a aluna iniciante chama-se Ana Paula da Silva de 47 anos e está fazendo o 2° ano do Ensino Médio. Mora em Caxias.

A viagem, a aula e a esperança na multiplicação de boas ações continuaram.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui